Onda vermelha deixa estabelecimentos de Cássia com limitação de abertura

  • Joaquim Felix
  • Publicado em 17 de janeiro de 2021 às 12:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Cássia está na Onda Vermelha e restringe acesso de consumidores a estabelecimentos comerciais

Prefeito Rêmulo Castro limitou horário de funcionamento de estabelecimentos na tentativa de reduzir as contaminações de Covid 19 no Município

A crescente onda de casos de Coronavírus tem feito com que administrações em Minas Gerais adotem medidas restritivas.

É o caso de Cássia e municípios vizinhos, onde os prefeitos de cada Município resolveram restringir o funcionamento de estabelecimentos comerciais.

Eles decidiram aderir à lista de cidades que vêm tomando medidas para conter o avanço da pandemia.

As medidas previstas no decreto começaram a valer a partir do dia 16. O decreto foi assinado pelo prefeito Rêmulo Carvalho Pinto (PP), e a prefeitura contratou mais quatro fiscais para ajudar na fiscalização. O município está na Onda Vermelha do Programa Minas Consciente.

O decreto estabelece que bares e restaurantes podem abrir até às 22h, somente por delivery. Os órgãos públicos só vão funcionar até às 13h. A única exceção é a Secretaria de Saúde, que funcionará em horário ampliado por estar classificada como serviço essencial.

Segundo a enfermeira Priscila Pescara, houve um certo descuido da população por achar que a situação já estava mais controlada.

“Veio essas festas de final de ano, Natal, Ano Novo e teve muita aglomeração de pessoas, pelo o que a gente viu nas redes sociais. Existiu uma falsa sensação de que estava resolvido e agora estamos enfrentando o problema de 10 meses atrás”, afirmou.

Priscila, que integra o comitê de combate à Covid em Cássia, afirma que a vacina que está a caminho não é um indicador de que os cuidados podem afrouxar.

“A gente vai demorar pelo menos um ano para conseguir uma imunidade coletiva. A vacina também não pode dar essa sensação de que está tudo bem, que podemos afrouxar”, explicou. (fonte: Prefeitura Municipal e G1 Sul/Minas)