Formula Chopp

Novos lotes da rodada do auxílio emergencial 2021 terão dez dias para contestação

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 13 de abril de 2021 às 12:30
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

De acordo com o Ministério da Cidadania, ainda há bases de dados em processamento pela Dataprev

De acordo com o Ministério da Cidadania, ainda há base de dados em processamento

 

Trabalhadores que ainda esperam a concessão do auxílio emergencial 2021 devem redobrar a atenção ao Portal de Consultas da Dataprev.

De acordo com o Ministério da Cidadania, ainda há bases de dados em processamento pela Dataprev. Ou seja, ainda é possível ampliar o número de beneficiários.

E quem não for aprovado nos próximos lotes, ou receber um valor que julga ser menor do que o devido, poderá contestar a decisão.

Cada novo lote de cadastros analisados pela Dataprev tem um prazo, de dez dias, para uma possível contestação.

O prazo é contado somente a partir da disponibilização do resultado da análise da elegibilidade no Portal de Consultas.

Para trabalhadores que tiveram o resultado divulgado no lote mais recente, no dia 10 deste mês, o período para contestação será de 13 a 22 de abril.

A contestação é feita no mesmo site da consulta. O sistema só vai aceitar critérios passíveis de contestação, que são os que permitem haver atualização de bases de dados da Dataprev.

Neste caso, basta clicar em “Solicitar contestação”. Feita a contestação, a Dataprev fará uma reanálise do cadastro com as novas informações do trabalhador.

A análise não tem prazo, por isso é importante conferir o site de consultas diariamente. Até as 13h desta segunda, o Portal de Consultas registrou mais de 65,4 milhões de acessos.

O auxílio emergencial 2021 só será pago aos trabalhadores que tinham o direito reconhecido em dezembro do ano passado e se encaixa nas regras deste ano.

Inicialmente, serão contemplados cerca de 40 milhões de famílias. O benefício pode ser ampliado se houver novas discussões no Congresso Nacional a respeito de limites fiscais, em função do cenário de pandemia, segundo o Ministério da Cidadania.

*conteúdo Folhapress


+ Cotidiano