INSS anuncia que prova de vida volta com novas regras em 2022; veja o que mudará

  • Cláudia Canelli
  • Publicado em 6 de novembro de 2021 às 08:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Antes da prova de vida, fraudes com pessoas mortas foram registradas frequentemente, provocando prejuízo aos cofres públicos.

A prova de vida do INSS deverá ter novas regras para o ano de 2022. Com o avanço da vacinação e liberação da volta de eventos fechados ou com aglomerações, o governo pretende retomar a comprovação.

Segundo o portal Concursos no Brasil, a principal mudança é em relação às datas. Um novo calendário já foi divulgado.

Vale ressaltar que em 2021, a prova de vida foi suspensa e ficará assim até o começo do ano que vem. O governo federal justificou a medida apontando para a pandemia.

Ou seja, atualmente, a comprovação é voluntária, não sendo necessário que o aposentado ou pensionista realize o procedimento.

Calendário da prova de vida do INSS

Antes de ser suspensa temporariamente, a prova de vida do INSS exigia que, em uma data específica, o aposentado ou pensionista fosse realizar a comprovação. Sendo assim, cada pessoa tinha um dia exato, o que provocava problemas como faltas ou aglomerações.

Agora, o calendário de prova de vida do INSS mudou e seguirá o mês de aniversário dos beneficiários. A medida valerá a partir de 2022, quando a comprovação voltará a ser obrigatória.

Veja como ficou o cronograma do ano que vem:

  • Novembro de 2020 a junho de 2021: até janeiro de 2022;
  • Julho e agosto de 2021: fevereiro de 2022;
  • Setembro e outubro de 2021: março de 2022;
  • Novembro e dezembro de 2021: abril de 2022.

Se o beneficiário estiver com alguma dúvida, basta ligar para o telefone 135, central de atendimento do INSS. O funcionamento é de segunda a sábado, das 7h às 22h. O aplicativo Meu INSS (disponível para Android e iOS) funciona 24h e também faz esclarecimentos.

O que é a prova de vida

A prova de vida do INSS serve para que o governo federal não faça pagamentos indevidos. Nela, o beneficiário deve comprovar que quem recebe o dinheiro é o beneficiário registrado no instituto.

Antes da prova de vida, fraudes com pessoas mortas foram registradas frequentemente, provocando prejuízo aos cofres públicos.

A comprovação é feita na agência bancária na qual o aposentado ou pensionista recebe o dinheiro do governo. Em casos excepcionais, um servidor do INSS especializado é deslocado até a residência do beneficiário.