Formula Chopp

Gaeco ajuíza ação contra grupo que aplicava golpes em empresas farmacêuticas

  • Dayse Cruz
  • Publicado em 20 de abril de 2021 às 10:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Denúncia teve base em outras investigações contra os mesmos envolvidos e está sendo apurada pelo Ministério Público

A denúncia foi elaborada a partir do desdobramento de outras investigações existentes contra o mesmo grupo criminoso

O Ministério Público, por meio do seu Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), ajuizou ação penal contra organização criminosa voltada para a prática de inúmeros crimes de estelionato.

A denúncia foi elaborada a partir do desdobramento de outras investigações existentes contra o mesmo grupo criminoso, que já responde a dois processos pela prática de crimes contra a saúde pública e de crimes contra a ordem tributária.

Ao longo desta investigação, que teve curso nos anos de 2020 e 2021, apurou-se que a organização criminosa criou uma Organização Não Governamental, que tinha a finalidade de ludibriar indústrias farmacêuticas.

Um integrante do grupo entrava em contato com as companhias e pleiteava descontos na aquisição de medicamentos, sob o falso pretexto de os remédios seriam doados ou vendidos, exclusivamente, a órgãos públicos.

A partir disso, as indústrias farmacêuticas doavam ou concediam descontos de até aproximadamente 90% sobre o custo de mercado dos medicamentos. que recebiam a inscrição “venda proibida ao comércio”.

Todavia, o grupo criminoso apagava o aviso e vendia quase a totalidade da mercadoria a preços de mercado, auferindo, assim, lucros exorbitantes.

Até o momento, apurou-se que o grupo criminoso obteve, ilicitamente, quantia superior a R$ 16 milhões. No dia 7 de abril, a Justiça, atendendo a pedido do MPSP, deferiu medida cautelar de indisponibilidade de bens.


+ Cotidiano