Formula Chopp

Fã dos Beatles morre e família procura cartas dentro de discos vendidos na internet

  • Cláudia Canelli
  • Publicado em 9 de junho de 2021 às 19:30
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Quando a filha nasceu, há 14 anos, ele escreveu e colocou dentro do disco uma carta que deveria ser entregues à Bárbara quando ela completasse 15 anos

Karlo Nogueira com a esposa e os três filhos: busca incessante por cartas deixadas dentro das capas dos discos de vinil

Uma campanha que viralizou na internet busca encontrar cartas deixadas por um pai, que morreu com Covid, para a filha que vai completar 15 anos.

O potiguar Karlo Schneider Nogueira, de 40 anos, era fã dos Beatles, e sempre gostou de fazer brincadeiras de caça-ao-tesouro com a esposa e filhos.

A última ganhou tons de roteiro de filme e virou uma caçada coletiva na internet.

Schneider morreu em março deste ano. Ele tinha três filhos. A mais velha, Bárbara Schneider, tem 14 anos.

Quando ela nasceu, ele escreveu uma carta para a menina e pediu que os amigos fizessem o mesmo. As cartas deveriam ser entregues à Bárbara quando ela completasse 15 anos.

Os textos foram guardados em discos de vinil do grupo britânico, que faziam parte da coleção dele.

Busca pelas cartas

Com a pandemia em 2020, Schneider ficou desempregado e teve que vender grande parte dos discos. As cartas foram junto.

“Ele botou dentro dos discos porque achou que era algo que nunca ia se desfazer”, contou a amiga Ulla Saraiva, responsável por compartilhar a história nas redes sociais.

Segundo a amiga, Schneider tinha entre 500 e 600 discos e ficou com cerca de 150.

O LPs foram vendidos para sebos e também diretamente para colecionadores de todo o Brasil. Os itens principais da coleção eram discos dos Beatles.

Apelo de amiga viraliza

A postagem registrava mais de 54 mil curtidas e 15 mil compartilhamentos até a tarde de terça-feira (8).

Veja no vídeo (clicando aqui) o apelo da amiga Ulla Saraiva

Ulla define a busca pelos discos como encontrar uma “agulha no palheiro”, já que não há nenhuma pista definida de em qual vinil as cartas possam estar e para quem ele foi vendido.

“Ele tinha um material vasto dos Beatles porque ele promovia feiras, estava em contato com grupos de ‘beatlemaníacos’ do Brasil inteiro e ele tinha alguns discos raros, alguns importados”.


+ Cotidiano