Entrevias analisa retrorrefletância de sinalização nas rodovias

  • Joaquim Felix
  • Publicado em 29 de novembro de 2020 às 11:23
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 09:50
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

O objetivo é manter a qualidade e segurança nas vias além de avaliar a capacidade de refletância

Equipes trabalham em um levantamento de retrorrefletância, que consiste em medir e avaliar os índices de refletância da sinalização horizontal implantada nas rodovias

Uma sinalização adequada deve estar visível, em boas condições de conservação, bem posicionada e em distância compatível para aumentar a segurança do trânsito. 

São critérios que, quando aplicados, permitem aos usuários tempo adequado de reação e informações úteis sobre a rodovia, aumentando a segurança viária, principalmente no período noturno. 

Especialmente no Brasil, onde o transporte terrestre é o modal mais utilizado para o deslocamento de cargas e pessoas, investir em sinalização e em sua manutenção é sinônimo de preservação de vidas. 

E um dos aspectos da sinalização é a retrorrefletância, análise que está sendo realizada no trecho sob concessão da Entrevias na região de Ribeirão Preto.

Equipes trabalham em um levantamento de retrorrefletância, que consiste em medir e avaliar os índices de refletância da sinalização horizontal implantada nas rodovias.

A medição verifica a quantidade de luz que reflete para o motorista quando a rodovia é iluminada pelos faróis do veículo. 

Assim, é possível identificar possíveis pontos que a sinalização pode ser melhorada e, consequentemente, reduzir riscos de acidentes. 

Na Concessionária, essa checagem é feita semestralmente, como mais uma ação que integra os protocolos e investimentos em segurança viária. Também são seguidos os manuais brasileiros de sinalização de trânsito do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN).

Para se avaliar tecnicamente a retrorrefletância, utiliza-se um equipamento chamado retrorefletômetro. Posteriormente, os dados obtidos são interpretados. Uma empresa especializada foi contratada para executar este trabalho, que está sendo acompanhado pela equipe de Engenharia da Entrevias. 

Após os resultados, se houver necessidade de adequação, o serviço será feito pela equipe de Conservação da Concessionária.

A avaliação se estenderá até dezembro, incluindo todo o trecho rodoviário sob concessão da empresa na região.

Equipes analisarão zebrados, legenda, tronco e demais marcações na pista. 

Ao longo da rodovia são selecionados alguns pontos para obtenção de dados estatísticos de cada subdivisão que, se reprovados na análise, são submetidos à verificação mais detalhada.

Manutenção

Diariamente, equipes da área de Conservação de rodovias da Entrevias percorrem o trecho e verificam a necessidade de troca de placa avariada. 

Identificam o problema, o tipo de sinalização e a Fábrica de Placas da Concessionária produz uma nova. 

A empresa é autossuficiente na fabricação de todas as placas utilizadas – da criação à instalação. 

Atualmente, em inventário, a companhia conta com cerca de 8.300 placas na região de Ribeirão Preto e 5.300 no trecho de Marília.

Para o gestor de segurança viária Fábio Ortega, uma rodovia adequada precisa oferecer todos os elementos de segurança possíveis e estar de acordo com as normas e regras de trânsito.

“A falta de sinalização aumenta e muito os riscos de acidentes, pois restringe ao motorista a informação necessária para ele ter tempo de tomada de decisão, como reduzir a velocidade, se preparar para uma curva, por exemplo”, enumera. 

Ortega reforça que existe um estudo que norteia a implantação de toda a sinalização viária, que expõe o condutor a informações que devem ser seguidas. “Uma viagem tranquila depende da conscientização do usuário. Existe o fator humano, mas também das características viárias associadas ao pavimento, sinalização, geometria da via”, completa.

Rodovia Anhanguera

A Rodovia Anhanguera (SP-330), administrada pela Entrevias, foi considerada uma das melhores do Brasil para se trafegar na 23ª Pesquisa Rodoviária da Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgada no fim do ano passado. 

O mesmo estudo mostrou que as 22 melhores rodovias brasileiras são concedidas à administração privada.

Considerada um dos principais corredores logísticos e rota para o escoamento da produção agrícola brasileira, a via tem um total de 453 quilômetros e interliga o Estado de São Paulo a Minas Gerais. 

Deste total, a Entrevias cuida da operação e manutenção de 131,6 quilômetros, entre Ribeirão Preto e Igarapava.


+ Trânsito