Emdef continua na gestão do Aterro Sanitário de Franca por mais 12 meses

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 7 de outubro de 2020 às 23:24
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Nova célula foi colocada em funcionamento com estrutura de proteção do solo para o recebimento dos resíduos

No momento em que acaba de colocar em funcionamento uma nova célula com toda a estrutura de proteção do solo para o recebimento dos resíduos, a Prefeitura de Franca confirma o aditamento por mais 12 meses a Emdef (Empresa para o Desenvolvimento de Franca), para continuar na manutenção do Aterro Sanitário da cidade. 

Essa é a nona célula  que foi concluída em fins de setembro, apta a receber os resíduos domiciliares e da indústria da cidade. 

A utilização a partir desse momento passa a ocorrer de acordo com as necessidades, considerando que ainda existem espaços na célula anterior. 

Foram cumpridas diversas exigências técnicas para a impermeabilização do local, o que impede o comprometimento do lençol freático, além da construção de dispositivos de captação do chorume que é produzido pelos resíduos em decomposição.

A Prefeitura de Franca está investindo recursos na ordem de R$ 2,3 milhões nesse projeto, de maneira a atender todas as exigências técnicas dos órgãos de controle do meio ambiente. 

A primeira parte, em torno de R$ 1,35 milhões foi investida nesse ano e um complemento está empenhado para o ano que vem, envolvendo valor de quase R$ 1,1 milhão.

O Aterro Sanitário fica localizado as margens da rodovia Franca – São Joaquim da Barra (Prefeito Fábio Talarico), adiante do trevo de acesso ao Distrito Industrial e sede da Emdef.

O que é a célula em um Aterro​

A denominação “célula”, para leigos no assunto, em um Aterro Sanitário, representa a subdivisão da área destinada a descarte de resíduos industriais e domésticos, sendo construída conforme a necessidade de novas áreas quando a anterior estiver com a capacidade total em estágio final. 

Esta área está recebendo um tratamento específico para impermeabilização, drenagem e cobertura do lixo. Atualmente o Aterro encontra-se com a 8º célula com mais de 60% da capacidade ocupada e a 7º célula com mais de 90%.

O projeto da 9º célula prevê uma área útil de 22.500m² e 15 metros de altura, suficiente para aproximadamente 200.000 toneladas de lixo, o que equivale pouco mais de 1 ano de recebimento.