Eleição para presidente da Câmara poderá rachar bancada dos tucanos

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 22 de novembro de 2017 às 18:05
  • Modificado em 8 de outubro de 2020 às 18:27
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Dos quarto vereadores do PSDB metade apoia Donizete e a outra metade prefere Claudinei

​Ao que parece, a base de vereadores do PSDB na Câmara Municipal de Franca vai novamente divergir em um ponto de vista político nos próximos dias. 

Desta vez, as opiniões diferentes não se referem a projetos de lei e nem apoio ao governo Municipal e sim são relativas com a eleição para presidente do Poder Legislativo.

Até poucos dias atrás, a tendência é que é Claudinei da Rocha, do PSB, fosse eleito presidente com maioria folgada dos votos dos vereadores. O problema é que o governo não queria ver a presidência nas mãos de um vereador distante de Gilson de Souza, situação atual de Claudinei.

A sugestão do grupo de apoio à Gilson foi a de lançar uma candidatura para bater a do então pretendente mais forte e o nome de Donizete Mercúrio foi aprovado por todos os integrantes da base.

O fato de ser tucano daria automaticamente Donizete 4 votos, pois além do próprio voto teria o apoio natural dos outros parlamentares de seu partido. No entanto, do trio formado por Adérmis Marini, Kaká e Tony Hill somente este último estaria totalmente fechado com Donizete.

A possibilidade de dois vereadores do PSDB votarem em um candidato de outro partido é remota, mas nos bastidores o descontentamento de ambos com a candidatura do colega tucano é bastante comentado.

Segundo as contas do governo, mesmo sem os votos de aAdérmis e Kaká, Donizete deve se eleger presidente com apoio de nove vereadores. A escolha do substituto do atual presidente, Marco Garcia, acontecerá no dia 7 de dezembro, dois dias após a realização da última sessão ordinária do ano.