De olho para o céu: eclipse lunar ocorre na madrugada desta segunda-feira (30)

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 29 de novembro de 2020 às 12:43
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 09:56
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Qualquer observador no Brasil, desde que tenha um céu sem nuvens ou com pouca nebulosidade, poderá ver

​O amanhecer da segunda-feira, 30 de novembro de 2020, será diferente para a Astronomia Observacional por causa de um eclipse lunar. Isso porque a Lua vai se pôr eclipsada. 

Quem poderá observar?

Qualquer observador localizado no Brasil, desde que tenha um céu sem nuvens ou com pouca nebulosidade.

Você não precisa de nenhum equipamento especial para ver um eclipse lunar, a observação pode ser feita a olho nu. Mas, se tiver um binóculo específico para a observação astronômica poderá apreciar mais e melhor o evento.

Principais horários do eclipse lunar penumbral de 30/11/20.

Apesar do início deste eclipse ocorrer às 04h32m21s (horário de Brasília), infelizmente, o momento máximo do eclipse, que ocorrerá às 06h44m01s, não poderá ser contemplado por nenhum observador localizado no Brasil, em nenhuma região.

Isso porque o ocaso da Lua (pôr da Lua) ocorrerá antes de podermos contemplar o momento máximo. Sendo assim, é aconselhado que se inicie a observação logo nos primeiros segundos deste eclipse, pois o tempo de contemplação será reduzido.

Para onde olhar para ver o eclipse? 

No momento do início do eclipse lunar penumbral de 30 de novembro de 2020, a Lua estará pouco acima do horizonte oeste. 

Assim, procure um horizonte oeste onde nenhum objeto possa impedir a visualização deste horizonte. Caso o observador tenha um horizonte oeste com a interferência de prédios, montanhas ou árvore a sua frente, este eclipse não poderá ser observado. 

O que será observado?

Este eclipse lunar será do tipo penumbral. Assim, o que poderá ser observado é um leve decaimento do brilho da Lua.

Vale ressaltar que os observadores localizados nas cidades com poluição luminosa não irão perceber esta ligeira mudança do brilho da Lua. 

Mesmo para os observadores localizados nas cidades sem poluição luminosa, a percepção do decaimento do brilho da Lua será difícil de ser percebido, pois no momento que a Lua estará cada vez mais imersa na penumbra da Terra, o Sol estará apresentando os seus primeiros raios solares, ofuscando não apenas os brilhos das estrelas, mas bem como nossa percepção quanto a visualização do eclipse.

Mas, nem tudo está perdido! Por se tratar de um ocaso da Lua eclipsada, mesmo que seja um eclipse penumbral, espera-se uma coloração um pouco diferenciada dos tradicionais ocasos ou nascer da Lua cheia.