Cem sarcófagos com mais de 2.500 anos são descobertos no Egito

  • Salvador Netto
  • Publicado em 17 de novembro de 2020 às 18:04
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 08:40
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Sarcófagos estão perfeitamente conservados; especialistas consideram descoberta ‘especial’

Foram descobertos pelo menos 100 sarcófagos, com mais de 2.500 anos, perfeitamente conservados, no Cairo.

Desenhos pintados ainda são visíveis nos sarcófagos selados, que foram enterrados em túmulos há mais de 2.500 anos, juntamente com máscaras douradas e amuletos.

Especialistas egípcios dizem que os sarcófagos, que foram exibidos no sábado, na necrópole de Saqqara, podem estar tão bem preservados por serem de qualidade superior e terem pertencido a pessoas de uma “classe social mais alta”.

“Isto é algo que torna a descoberta especial – a quantidade e qualidade dos caixões”, disse o secretário-geral do Conselho Geral de Antiguidades, Mostafa Waziri, em declarações à CNN.

Os arqueólogos abriram um dos sarcófagos que continha uma múmia e tiraram um raio-x para mostrar o quão bem preservada estava. Waziri disse aos jornalistas que através do raio-x foi possível descobrir que se tratava de um homem saudável, que teria morrido com 40-45 anos.

Já em outubro haviam sido descobertos 59 sarcófagos com mais de 2.500 anos.