Formula Chopp

‘Maracatu de Baque Solto’, de Pernambuco, é tema da live do projeto virtual do Sesc

  • F. A. Barbosa
  • Publicado em 15 de junho de 2021 às 17:30
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Nesta quinta-feira (17/06), às 19h30, no YouTube, o bate-papo será sobre expressão tradicional da cultura pernambucana

Nesta quinta-feira (17/06), às 19h30, no YouTube, o bate-papo será sobre expressão tradicional da cultura pernambucana

O projeto virtual “Brasil Vivo! Festas, Tradições e Cultura Popular”, promovido pelo Sesc Ribeirão Preto, apresenta nesta quinta-feira (17/06), às 19h30, no canal do YouTube (YouTube.com/sescribeirao), uma live com bate-papo ao vivo sobre o “Maracatu de Baque Solto”, tradição na cidade de Nazaré da Mata, em Pernambuco.

O encontro, mediado pela produtora cultural Vandreza Freiria, terá participação de Maria Alice Amorim (escritora e pesquisadora das poéticas de tradição oral e da literatura de cordel), de Anderson Miguel (mestre do Grupo de Maracatu Águia Misteriosa) e da fotógrafa paulista, produtora audiovisual e curadora do projeto Andrea Goldschmidt.

O “Maracatu de Baque Solto” é uma das expressões tradicionais da cultura popular pernambucana, resultante da mescla de tradições afro-ameríndias e ibéricas. Provavelmente surgiu nos engenhos de cana-de-açúcar, onde os trabalhadores se reuniam nos períodos de folga para brincar e festejar depois de dias árduos de trabalho.

Atualmente, o folguedo é ligado ao período carnavalesco, quando os ex-canavieiros se enchem de alegria e se tornam membros da corte e poderosos “guerreiros”: são os caboclos de lança!

Essa figura quase mítica é o principal personagem da manifestação, e o orgulho de brincar como caboclo – com saltos, giros, caídas e embates – é passado de geração em geração: prova da resistência (física e cultural) que mantém a festa tão ativa e vibrante.

“Os caboclos de lança são os guerreiros de Ogum. Descendentes de escravos. Vestem-se com luxo durante os dias de Carnaval. Suas delicadas golas são bordadas de azulejos portugueses e a cabeleira de papel celofane colorido brilha ao sol trazendo para perto seu guia espiritual.

Carregam sinos, grandes e pesados, com o som dos facões dos cortadores de cana”, diz Andrea, que já registrou 38 festas populares e manifestações culturais e religiosas, em 13 estados diferentes.

“Brasil Vivo! Festas, Tradições e Cultura Popular”, promovido pelo Sesc Ribeirão Preto, tem como objetivo estimular os participantes a fazer uma viagem virtual e encontrar um novo universo de referências culturais de um Brasil plural.

“Diante do cenário mundial de pandemia e distanciamento social e com as nossas unidades fechadas temporariamente, a instituição ressignifica as formas de realização de sua programação e relação com seus públicos, buscando nos recursos tecnológicos a promoção do encontro necessário, agora, em um ambiente digital.

‘Brasil Vivo’ é uma oportunidade de viajar sem sair de casa, conhecer sobre o nosso rico patrimônio cultural imaterial e aprender com as experiências de quem vivencia as festas populares brasileiras”, diz Vitor Hugo Vieira, turismólogo e programador do Sesc Ribeirão.

A fotografia artística de Andrea Goldschmidt é a base para os encontros virtuais, toda quinta-feira neste mês de junho, sempre acompanhada de convidados locais das regiões envolvidas, sendo uma oportunidade de conhecer um roteiro de turismo cultural.

Nas lives, os internautas podem interagir mandando perguntas e ficar por dentro dos bastidores das manifestações e tradições abordadas.


+ Cultura