Vítimas de violência podem recorrer a Projeto para reparação estética

  • Joaquim Felix
  • Publicado em 8 de outubro de 2020 às 07:12
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

O encaminhamento ao programa é feito por juízes, Ministério Público, Defensoria Pública e da Advocacia

Desde 2016 a iniciativa já ajudou mais de 65 mulheres a reconstruírem suas vidas

O Tribunal de Justiça de São Paulo, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde e a Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) Turma do Bem, oferece às mulheres vítimas de violência doméstica serviços para reparação estética causada pelas violências através do Projeto Fênix – Alçando Voo.

Desde 2016 a iniciativa já ajudou mais de 65 mulheres a reconstruírem suas vidas. 

Por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), a vítima tem acesso a cirurgias estéticas e reparadoras, enquanto os serviços odontológicos são realizados pela Turma do Bem, através do projeto “Apolônias do Bem”. 

O encaminhamento ao programa é feito por juízes, integrantes do Ministério Público, da Defensoria Pública e da Advocacia, delegacias de polícia e pelas próprias vítimas e seus familiares, que podem solicitar a reparação das lesões decorrentes de agressões diretamente na Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Poder Judiciário (Comesp) pelo e-mail [email protected] ou telefones (11) 2171-4807 / 3104-5521. 

De acordo com a juíza Teresa Cristina Cabral Santana, integrante da Comesp, a ideia do projeto é, assim como o nome sugere, auxiliar o renascimento das mulheres. 

“Além do processo judicial, há a necessidade de oferecer outros tipos de apoio, como a recuperação física e estética. As marcas da violência dificultam a reinserção social e familiar das vítimas e percebemos que essa era uma questão muito delicada, que deveria ser abordada de maneira a contribuir para recuperação da dignidade dessas mulheres”, afirma.    

Projeto Fênix – Alçando Voo

Visa recuperar a autoestima e contribuir para maior qualidade de vida das mulheres participantes por meio da reparação estética, ortopédica e odontológica gratuita para vítimas de violência doméstica.