Pessoas se amontoam nas UBSs de Franca para tentar marcar consultas

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 7 de março de 2018 às 08:16
  • Modificado em 8 de outubro de 2020 às 18:36
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Consultas com clínico geral dão alento para a população, mas ginecologistas são raridade

​A rotina de muitos francanos, todas as manhãs, é cruel. Eles acordam por volta das cinco horas e vão para as portas das UBSs para tentar marcar uma consulta.

A esperança é conseguir alguma “sobra” de vaga causada por eventuais desistências de outros usuários. Caso ninguém desista, o sofrimento se repete no outro dia.

E os que conseguem consulta, muitas vezes, têm o atendimento como um paliativo para seus problemas de saúde. Isso porque faltam especialistas nas UBSs para atendimentos direcionados.

Um exemplo claro é a falta de ginecologistas. Informações da Secretaria de Saúde é de que, das 19 UBSs, o atendimento especializado nesta área atinge somente a metade das unidades.

Caso seja constatada a necessidade de atendimento especializado, pelo clínico geral, é feito o encaminhamento, que pode demorar até meses, dependendo da especialidade médica indicada.

A Prefeitura tem feito a compra de procedimentos da Santa Casa de Franca, mas a maioria deles é voltada aos casos de gestantes que demandem atendimentos de urgência. 

Entre os usuários da Vila São Sebastião, onde mais de 30 pessoas aguardavam encaixe na manhã desta quarta-feira, a reclamação é geral. Afirmam que os servidores têm boa vontade, mas a quantidade de médicos não é suficiente para atender toda a demanda.

Em uma rápida passagem por mais cinco UBSs nesta manhã, somente no Jardim Guanabara havia poucos pacientes esperando encaixe. 

No Parque do Horto, Leporace, Progresso e Aeroporto a realidade é a mesma da São Sebastião: muita gente esperando e poucas vagas disponíveis.