Mundo registra mais de 1,5 milhões de mortos desde início da pandemia

  • Salvador Netto
  • Publicado em 5 de dezembro de 2020 às 19:34
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 10:35
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Os EUA são o país que mais mortos registra desde o início da pandemia, seguido do Brasil e da Índia

Mais de 1,5 milhões de pessoas morreram de covid-19 no mundo desde que apareceu o novo coronavírus, que já infectou quase 65 milhões de pessoas, segundo números compilados pela agência France-Presse (AFP).

No total, 1.500.038 mortes e 64.774.705 casos de infecção pelo novo coronavírus foram registrados oficialmente em todo o mundo desde o início da pandemia, em dezembro na China.

Esse número de casos diagnosticados, no entanto, reflete apenas uma fração do número real de infecções.

Alguns países testam apenas os casos graves, outros priorizam o teste para rastreamento e muitos países pobres têm capacidade limitada de teste.

A região da América Latina e Caribe é a mais afetada no mundo, com 452.263 mortos, seguida da Europa (430.060 mortes) e da região dos Estados Unidos e Canadá (286.946).

Desde 24 de novembro, mais de 10.000 novos mortos por dia são registrados em média, um nível inédito até agora.

Mais da metade das mortes registradas nos últimos sete dias ocorreram na Europa (36.446), que enfrenta uma segunda onda da pandemia.

Itália (5.017 mortos), Rússia (3.515), Polônia (3.220), França (3.198) e Reino Unido (3.166) são os países da região mais afetados neste período.

A nível mundial, os EUA são o país que mais mortos registra desde o início da pandemia (275 mil), seguidos do Brasil (175 mil) e da Índia (138 mil).

Entre os mais afetados, a Bélgica é o que tem mais mortos em relação à sua população (146 mortos por 100.000 habitantes), seguida do Peru (109), Espanha (98), Itália (96) e Macedônia do Norte (89).

Esta avaliação foi realizada com base em dados recolhidos pelos escritórios da AFP junto das autoridades nacionais competentes e informações da Organização Mundial de Saúde (OMS).