Formula Chopp

Mulheres vêm se destacando em diversos setores da concessionária Entrevias

  • Dayse Cruz
  • Publicado em 16 de março de 2021 às 09:30
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Na Entrevias Concessionária de Rodovias, elas representam 50% dos colaboradores e quase 30% ocupam cargo de liderança

Gilmara Rocha – motorista de van da concessionária Entrevias

 

Março é considerado o Mês da Mulher. Esse reconhecimento se deve a anos de luta de muitas mulheres que enfrentaram discriminação e preconceitos, viveram à frente do seu tempo e conquistaram o direito de votar, estudar, trabalhar e serem independentes.

Atualmente, no Brasil, a população feminina é maioria, com 51,6%. Porém, no mercado de trabalho, a mulher ainda busca a equidade sob diversos aspectos.

Na Entrevias Concessionária de Rodovias, elas representam 50% dos colaboradores e quase 30% ocupam cargo de liderança.

O cenário atual da mulher no mercado de trabalho reflete o impacto da pandemia.

O percentual de mulheres que estavam trabalhando ficou em 45,8% no terceiro trimestre de 2020, segundo os dados mais recentes do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O nível mais baixo desde 1990, quando a taxa ficou em 44,2%.

Mulheres da Entrevias

Na Entrevias é possível acompanhar histórias de mulheres bem sucedidas, que cuidam sozinhas de suas famílias, que trabalham desde jovens e que desempenham, inclusive, atividades tidas como masculinas.

Gilmara Rocha é motorista há 10 anos. Antes de ingressar na Entrevias, há um ano, foi motorista de ônibus urbano.

Ela sempre teve o sonho de atuar nessa profissão e realizou, por isso, incentiva e encoraja as mulheres a seguirem seus sonhos.

“Esse cargo é tido por muitos como masculino, mas nunca senti isso e fui muito acolhida. Sou feliz no meu trabalho, não sinto nenhum tipo de discriminação, seja por colegas da mesma área ou de outras. E, eu sei, que o lugar da mulher é onde ela quer que ele seja”, declara.

Uma situação em milhares de lares pelo país é aquela em que a mãe é a única provedora financeira da casa e responsável pela educação dos filhos.

Assim é com a Regina Takano, líder de arrecadação. Ela ficou viúva há 16 anos, na época com um filho de 3 anos e uma filha de 7.

“Foi um período de muita luta, dedicação e responsabilidade. E hoje vejo que venci a batalha de educá-los e torná-los pessoas de bem”, conta. Regina também levou para a vida profissional sua disciplina e foco . “Com menos de um ano de Entrevias fui promovida para líder. Com trabalho e fé nós conseguimos o que quisermos.”

Késia Machado

 

Késia Machado, controladora do Centro de Controle de Arrecadação (CCA), trabalha desde os 15 anos. Já atuou como empregada doméstica, em supermercado e está desde 2018 na Entrevias. “Eu já tinha experiência quando fui contratada para trabalhar como agente de pedágio, fiquei poucos meses e fui promovida para auxiliar de CCA. Pouco depois subi novamente de cargo e me tornei controladora. Meu foco é continuar me esforçando para crescer profissionalmente e pessoalmente”, planeja.

Késia contou ainda que o principal desafio é manter a dupla jornada, trabalhando e cuidando da casa, que ela divide com o marido. “Ele tem horários complicados, trabalha e estuda. Eu acabo tomando conta da casa, o que me deixa sempre bem ocupada”, contou.

Igualdade

“Estar ao lado de tantas mulheres competentes diariamente nos enche de orgulho. A história de cada uma delas demonstra muita luta, garra e profissionalismo. Nosso intuito, e minha honra por estar à frente desta empresa, é justamente a igualdade”.

“Aqui, homens e mulheres atuam, se respeitam, não existe cargos específicos por gênero. Juntos trabalhamos para levar o melhor atendimento ao usuário”, explica Clara Ferraz, diretora-presidente da Entrevias, única mulher a ocupar o cargo de CEO entre as concessionárias paulistas de rodovias.


+ Cotidiano