Moradores reclamam da manutenção das praças de Franca e que as fontes estão imundas

  • Robson Leite
  • Publicado em 24 de julho de 2021 às 21:30
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Em outros tempos a praça era bem cuidada e lavada, as plantas eram molhadas por caminhões pipa, o calçadão recebia manutenção e limpeza

Moradora mostra o lixo dentro da fonte da praça 1º de Maio, na Estação

Um grupo de moradores de bairros da Estação, em Franca, publicou nas redes sociais o desleixo do poder público com a manutenção das praças da cidade

Mas eles reclamam especialmente do descaso com a praça 1º de Maio, na lateral da Avenida da Integração.

Integrante desse grupo, uma francana que cumpre o distanciamento social mandou um vídeo para a redação do Jornal da Franca desconfortável  com o abandono.

Ela diz que está sem sair a algum tempo ou quanto muito vai ao supermercado, farmácia e compras obrigatórias.

Panorama

Mas tirou o sábado para espairecer e percorrer algumas regiões que há tempos não via. Além de surpresa, ficou decepcionada com o panorama.

Além da sujeira, a fonte está com água suja, o que pode possibilitar dengue e outras doenças.

Aproveitando o dia de passeio, a francana disse que a falta de limpeza também pode ser verificada em outras praças da cidade, como a do Itaú (dom Pedro), Nossa Senhora da Conceição, Barão da Franca e 9 de julho.

A sujeira é grande e o risco de animais peçonhentos é grande, escreveu ela.

Abandono

Na mensagem ela diz que foi dar uma volta no centro da cidade, aproveitando que tinha pouca gente. “Está abandonada e não é pouco. As plantas estão morrendo por falta de água, muita sujeira”.

Segundo ela, em outros tempos a praça era bem cuidada e até lavada, as plantas eram molhadas por caminhões pipa, o calçadão recebia manutenção e limpeza.

Outra afirmação da moradora é com relação ao custo. “O paisagismo é oneroso e, se deixa os jardins morrerem, depois fica muito caro para refazer”.

No fundo, ela diz que espera uma mudança de atitude do governo municipal.

Assista ao outro vídeo: