Formula Chopp

Mais de 60% dos recém-nascidos internados em UTI de Ribeirão são prematuros

  • Entre linhas
  • Publicado em 17 de novembro de 2018 às 00:31
  • Modificado em 8 de outubro de 2020 às 19:10
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Dados são da UTI Neonatal do Sinhá, que de janeiro de 2017 a outubro de 2018 atendeu 463 prematuros

Todos os anos, cerca de 15 milhões de crianças ao redor do mundo nascem prematuras. No Brasil, são 340 mil bebês prematuros todo os anos, o equivalente a 931 por dia. Em Ribeirão Preto, no Sinhá Hospital Materno Infantil, por exemplo, de janeiro a setembro de 2018, pouco mais de 60% dos recém-nascidos internados na UTI Neonatal eram prematuros.

“De janeiro de 2017 a outubro de 2018 foram admitidos 463 prematuros na nossa UTI Neonatal. Claro que o número de prematuros nascidos no período deve ser um pouco maior, já que esse número representa apenas os internados na UTI por alguma razão médica”, explica o médico neonatologista Luis Angelo Marti Traver, membro da equipe da UTI Neonatal do Hospital.

A prematuridade é caracterizada quando a criança nasce antes da 37ª semana de gestação e pode ocorrer por diversas causas, sendo algumas das mais comuns doenças maternas (principalmente hipertensão arterial e infecções), gestação múltipla, mães adolescentes, malformações fetais, dentre outras.

Apesar da alta taxa de nascimento de bebês prematuros, o trabalho desenvolvido em UTIs Neonatais tem obtido resultados cada vez melhores principalmente devido à atuação de equipes multiprofissionais com especialistas cada vez mais capacitados e que contam com o apoio de modernos equipamentos como incubadoras, ventiladores e monitores, além das medicações específicas. “O índice de sucesso depende da idade de gestação ao nascer, ou seja, quanto mais prematuro o recém-nascido maiores as incidências de complicações e desfechos desfavoráveis. Porém, atualmente a Neonatologia tem evoluído muito e o índice de sobrevivência, sobretudo sem sequelas, tem sido cada vez maior”, afirma Traver.

O médico comenta ainda que além da UTI, os bebês prematuros precisam do leite materno e do contato direto com a mãe. “Sempre explicamos para as mães que a jornada de internação é longa e que a participação delas é fundamental para o bem-estar do bebê.”

Conscientização

Para conscientizar, sensibilizar e mobilizar a sociedade sobre o Dia Mundial da Prematuridade, celebrado oficialmente no dia 17 de novembro, o Sinhá Hospital Materno Infantil realizará no dia 23, sexta-feira, às 8 horas, um café-da-manhã especial com as famílias de bebês recém-nascidos prematuros atendidos no Hospital.

“Queremos celebrar a luta desses recém-nascidos e de suas famílias por meio da troca de experiências sobre esta que é uma das grandes causas da mortalidade infantil”, explica a médica neonatologista Rita Márcia Pinelli, coordenadora da UTI Neonatal do Hospital.


+ Cidades