Covid-19: três sintomas menos comuns que a maioria provavelmente desconhece

  • Joao Batista Freitas
  • Publicado em 25 de janeiro de 2021 às 21:30
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Apesar da maioria dos indivíduos já estar a par dos principais sinais de infeção pelo novo coronavírus, existem outros indicadores da doença que tem de ter em atenção

A partir desta segunda-feira, 25, Franca entra na fase vermelha do Plano SPA Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que a perda de paladar e de olfato (anosmia), uma tosse seca persistente e temperatura elevada são os três principais sintomas da Covid-19.

Adicionalmente, a OMS destaca outros sinais menos preponderantes, tais como dores musculares, de cabeça e dores de garganta, diarreia ou descoloração dos dedos das mãos e dos pés. Salientando ainda quatro sintomas especialmente raros, conforme divulga o jornal britânico “The Sun Online”:

Perda de audição

Especialistas da Universidade de Manchester, no Reino Unido, afirmam que ex-doentes reportaram a deterioração da sua audição, além de problemas como zumbidos.

O estudo questionou 121 adultos admitidos no HospitalWythenshawe. Os pacientes foram questionados pelo telefone durante um período de oito semanas após receberem alta hospitalar e 13.2% reportaram que a sua capacidade de audição tinha piorado.

É importante ter em mente que os danos auditivos também podem ser uma consequência natural do processo de envelhecimento e da exposição a ruídos demasiado elevados.

Conjuntivite

Na grande maioria dos casos a conjuntivite é causada por bactérias ou infeções virais. Mais ainda, a condição pode ser provocada por alergias, como ao pólen – sendo denominada de conjuntivite alérgica.

Os cientistas já alertaram que o SARS-CoV-2 pode entrar no corpo humanos através dos olhos e que, por sua vez, as lágrimas podem propagar a infeção.

Um estudo realizado por investigadores do Faculdade de Medicina da Universidade de Johns Hopkins University, em Baltimore, nos Estados Unidos, investigou indivíduos que haviam contraído a doença e consequentemente queixado de irritação nos olhos e de sofrerem de conjuntivite.

Os cientistas afirmaram que foi detectada a “presença do vírus em amostras de lágrima e esfregaço conjuntival num subconjunto de pacientes com Covid-19”.

No relatório a equipa de investigadores disse que encontraram a expressão de ACE2 e TMPRSS2 através de todos os espécimes oculares humanos testados e que o vírus era particularmente proeminente

Queda de cabelo

A perda de cabelo pode resultar de vários fatores, tais como envelhecimento, alterações hormonais e stress.

Apesar da queda de cabelo não ser um dos sintomas mais comuns associados ao novo coronavírus, algumas pessoas que tiveram o vírus apontam-no como um dos efeitos secundários da condição.

Segundo o jornal “The Sun”, uma sobrevivente que combateu o vírus em março disse que temia ficar calva e ser forçada a usar uma peruca, devido a mais de metade do seu cabelo ter caído.

Grace Dudley de Essex, em Inglaterra, explicou à publicação que acordou com tufos de cabelo na almofada, enquanto outros indivíduos comentaram que também sofreram perda capilar extrema.


+ Saúde