Formula Chopp

Consumo de carne vermelha processada está ligado a doenças cardíacas, diz estudo

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 21 de julho de 2021 às 22:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Também chamada de doença arterial coronariana, a condição é a principal causa de morte e invalidez em todo o mundo

Carnes vermelhas e processadas aumentam o risco de doenças do coração

 

Comer carne bovina, cordeiro, porco e carnes processadas aumentará o risco de doença coronariana mais tarde na vida, de acordo com uma nova meta-análise de estudos com mais de 1,4 milhões de pessoas que foram acompanhadas por 30 anos.

Também chamada de doença arterial coronariana, a condição é a principal causa de morte e invalidez em todo o mundo.

Ela se desenvolve quando depósitos de gordura de colesterol criam um acúmulo de placas nas paredes das artérias que fornecem sangue ao coração.

O risco de doença coronariana aumentou à medida que a quantidade de consumo de carne aumentou, de acordo com o estudo publicado nesta quarta-feira (21) na revista Critical Reviews in Food Science and Nutrition.

Para cada 50 gramas de carne bovina, cordeiro e porco consumidos, o risco de doença coronariana aumentou 9%.

Uma porção recomendada de carne é cerca de 85 gramas, o tamanho de uma barra de sabão ou baralho de cartas, de acordo com a American Cancer Society.

Para cada 50 gramas de carnes processadas como bacon, presunto ou salsicha ingeridas, o risco aumentava 18%.

“A carne processada parece pior para doenças cardíacas”, disse a co-autora do estudo, Anika Knüppel, epidemiologista nutricional do departamento de saúde populacional da Universidade de Oxford.

“Isso está de acordo com o que foi encontrado para o câncer de intestino, onde a carne processada está associada a um maior aumento no risco do que a carne vermelha”, disse Knüppel.

Nenhum problema com aves

O relatório também trouxe algumas boas notícias para os carnívoros: não parecia haver uma ligação entre comer aves, como frango e peru, e um risco aumentado de doença coronariana.

Consideradas carnes magras, a maioria dos tipos de aves não contém os níveis de gordura saturada encontrados na carne vermelha, nem os altos níveis de sódio que fazem parte das carnes processadas.

A gordura saturada desempenha um papel importante no desenvolvimento de placas nas paredes das artérias, um dos principais contribuintes para os bloqueios associados às doenças cardíacas.

O sódio pode aumentar a pressão arterial, também restringindo o fluxo de sangue para o coração.

*Informações CNN


+ Nutrição