Após meses de isolamento, casal sai para cortar cabelo e morre de Covid-19

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 1 de janeiro de 2021 às 13:28
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 13:11
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Casal de Chicago, que faleceu com 10 dias de diferença, agora está entre as vítimas fatais do coronavírus

Mike e Carol Bruno, 79 anos, fizeram tudo direitinho para evitar a Covid-19. 

Casados há quase 60 anos, os dois norte-americanos se abstiveram de receber as grandes e tradicionais reuniões familiares a que estavam acostumados. 

Eles se limitaram a telefonemas e videoconferências com a família, embora todos morassem perto.

Mas um rápido encontro com familiares para cortar o cabelo custou a vida de ambos. 

O casal de Chicago, que faleceu com 10 dias de diferença, agora está entre as mais de 338 mil pessoas que morreram de coronavírus nos EUA.

O filho Joseph Bruno espera que a dor de sua família sirva como um importante lembrete de como pode ser fácil contrair a Covid-19, não importa o quão seguro você esteja.

“Quando pensamos que estávamos cumprindo tudo à risca, pegamos mesmo assim”, lamentou Joseph à CNN.

Precauções caem​

No final de novembro, a mãe de Joseph, Carol Bruno, foi até o apartamento do filho, para que a filha (cujo nome não foi revelado) cortasse o cabelo dela própria e de Joseph. 

Antes da visita, a mulher, que trabalha em um salão de beleza, fez um teste Covid-19 que deu negativo. 

Ela também ficou em quarentena por três a quatro dias, sinalizado para a família que era seguro ficar perto dela.

Sua mãe, por outro lado, não tinha saído muito durante a pandemia.

Durante a visita, que durou cerca de 40 minutos, toda a família usou máscaras e evitou abraços, como contou o filho. 

Eles também se certificaram de que sua mãe se sentasse ao lado das janelas, que foram abertas como uma precaução extra.

Um dia após a visita, a filha começou a apresentar sintomas de Covid-19. O irmão e a mãe começaram a se sentir mal logo depois.

A visita se transformou em tragédia​

Carol Bruno, a mãe, deu entrada no hospital no Dia de Ação de Graças, mas recebeu alta naquela semana porque seu estado de saúde melhorou. 

Dois dias depois, ela voltou a ser internada e foi colocada num respirador.

Então, seu marido adoeceu. 

Mike Bruno nem acompanhou sua esposa e filhos no fatídico dia do corte de cabelo, mas começou a sentir os sintomas e foi internado em um hospital cerca de duas semanas após o Dia de Ação de Graças.

Um dia depois que seu marido foi colocado no respirador, Carol faleceu. Nove dias depois, dois dias antes do Natal, Mike também morreu.

“Acho que o que nos dá paz é saber que meu pai nem chegou a saber que minha mãe havia morrido”, disse Bruno disse à afiliada da CNN ABC7.

Depois de meses de cautela, bastou uma escolha simples, uma atitude que eles consideraram segura.

“Se eu tivesse feito aquele sacrifício e não tivesse passado aqueles 30 ou 40 minutos com minha mãe, eles ainda estariam aqui”, disse Joseph Bruno.

*Informações CNN International