Prejuízo histórico de quase R$ 2 bilhões obriga Zara a fechar 1200 lojas

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 12 de junho de 2020 às 19:50
  • Modificado em 8 de outubro de 2020 às 20:50
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Diante do atual cenário e com receita despencando em 44%, empresa se viu obrigada a mirar nas vendas online

Pelo menos 1.200 lojas Zara irão fechar ao redor do mundo até o final de 2022. 

A decisão partiu do grupo Inditex, proprietário da marca, que sentiu o peso da crise econômica com um prejuízo histórico de 409 milhões de euros, o equivalente a mais de R$ 2 bilhões.

A Zara chegou a reabrir suas lojas na França, após meses de bloqueio, mas foi bastante criticada por causa das aglomerações e filas na entrada. 

Diante do atual cenário e com a receita despencando em 44%, a empresa se viu obrigada a mirar nas vendas online, que tiveram um aumento de 50%.

De acordo com o fundador e presidente executivo do Inditex, Pablo Isla, serão investidos 1 bilhão de euros nos próximos dois anos em vendas online.

Já 1,7 bilhões de euros serão utilizados para melhoria na integração das plataformas virtuais com as outras atividades do grupo.

“O objetivo primordial entre agora e 2022 é acelerar a implementação completa do nosso conceito de loja integrada, impulsionado pela noção de poder oferecer aos nossos clientes serviços ininterruptos, independentemente de onde eles se encontrem, em qualquer dispositivo e a qualquer hora do dia”, explicou Pablo.

Apesar do fechamento das 1200 lojas, novos 450 estabelecimentos serão inaugurados já com a nova integração tecnológica para facilitar as vendas online. 

A nova estratégia batizada de 2022 Horizon vai proporcionar entregas mais rápidas e vai valer para as oito marcas que integram o grupo Inditex: Zara, Zara Home, Massimo Dutti, Pull and Bear, Bershaka, Stradivarius, Oyosho e Uterque.