Pague até R$ 200 por aproximação de cartão sem senha. Veja mais

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 25 de dezembro de 2020 às 18:15
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 12:37
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

O aumento do limite é o segundo do ano. Em julho, a Abecs havia o dobrado de R$ 50 para R$ 100 por compra

O pagamento por aproximação de cartão de crédito ou débito, sem a necessidade de senha, ficou mais flexível neste fim de ano. 

Uma resolução da Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços) dobrou de R$ 100 para R$ 200 o limite possível de custeio sem a utilização do recurso numérico de segurança.

A mudança visa atender uma maior demanda do consumidor. Segundo a associação, entre janeiro e setembro deste ano os pagamentos com aproximação somaram R$ 22,7 bilhões – aumento de 478% em relação ao mesmo período do ano anterior. 

Com as compras de Black Friday e Natal, a expectativa é que o gasto total pela modalidade em 2020 chegue a R$ 40 bilhões.

O aumento do limite é o segundo do ano. Em julho, a Abecs havia o dobrado de R$ 50 para R$ 100 por compra. Para valer, porém, é preciso que os bancos ou provedores dos cartões atualizem seus sistemas – não há previsão para implementação total.

Para a indústria dos cartões, o pagamento de até R$ 200 sem a necessidade de senha trará praticidade no atendimento do comércio, uma vez que, segundo a associação, o novo limite abrange 80% das transações feitas com o equipamento.

Em relação à segurança do método de aproximação, a Abecs afirma, em nota, que o sistema adota um protocolo internacional que inviabiliza o uso de dados para fraudes, como a clonagem dos cartões.