Formula Chopp

Mengo vence Champions League e retoma domínio brasileiro no basquete sul-americano

  • F. A. Barbosa
  • Publicado em 15 de abril de 2021 às 06:00
  • Modificado em 15 de abril de 2021 às 06:29
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Desde a criação do NBB, os brasileiros também estiveram no topo do pódio continental em mais três ocasiões

Desde a criação do NBB, os brasileiros também estiveram no topo do pódio continental em mais três ocasiões

O Brasil está no topo das Américas novamente. Depois de seis anos do último título do Bauru na Liga das Américas 2015, o Flamengo levantou a taça da Basketball Champions League Américas 2021 de forma invicta, em Managua (Nicarágua), e reforçou a hegemonia do basquete brasileiro a nível continental.

Esse foi o 11º troféu continental de um clube do Brasil nos últimos oito anos – desde 2013. Foram seis da Sul-Americana (Brasília em 2013 e 2015, Bauru em 2014, Mogi em 2016, Sesi Franca em 2018 e Botafogo em 2019), três da Liga das Américas (Pinheiros em 2013, Flamengo em 2014 e Bauru em 2015), além do Torneio Interligas de 2019 conquistado pelo Bauru.

Desde a criação do NBB, os brasileiros também estiveram no topo do pódio continental em mais três ocasiões: em 2009, o Flamengo venceu a Sul-Americana e Brasília, a Liga das Américas, e no anos seguinte, os brasilienses ficaram com a Sul-Americana também.

“Sensação de alívio e dever cumprido. Era um título internacional que o Flamengo queria muito. Estávamos correndo atrás há muito tempo e não vinha. Conseguimos e agora vamos jogar a Copa Intercontinental. Parabéns a toda a torcida, diretoria que acreditou na gente e principalmente aos jogadores”, declarou Gustavo De Conti, que conquistou seu primeiro título internacional na carreira.

Além do título, o Flamengo também terá a oportunidade de representar a América na próxima Copa Intercontinental de Clubes. O clube da Gávea foi campeão da edição 2014 ao vencer o Maccabi Tel-Aviv (Israel), então campeão da Euroleague, e foi vice-campeão da edição 2019 ao ser superado pelo AEK (Grécia), ambos no Rio de Janeiro.

“Foi uma agonia muito grande ficar fora, mas felizmente deu tudo certo para a gente. Agora é o Flamengo novamente no topo das Américas e classificado para o Mundial. E vamos buscar esse Mundial. Nossa retomada das Américas enfim deu certo. Vamos Flamengo!!!”, disse Olivinha.

Vale mencionar que a edição 2021 da Basketball Champions League Américas foi histórica para o basquete brasileiro. Não só pela campanha invicta do campeão Flamengo, mas também pela presença massiva de clubes do NBB na fase final. Foram quatro entre os oito melhores: Flamengo, Minas, São Paulo FC e Sesi Franca.

Já no Final Four (semifinais), três dos quatro times eram brasileiros. Um feito para lá de expressivo que comprova a força dos clubes do NBB no cenário internacional. O terceiro lugar, por sua vez, ficou com o Minas, que venceu o São Paulo na decisão do bronze, por 75 a 58.

Na grande final, o Flamengo cresceu pra cima do anfitrião Real Esteli (NIC), que para chegar à final eliminou os brasileiros Sesi Franca (quartas) e Minas (semi). Mesmo com apoio da torcida no Polideportivo Alexis Arguello, os comandados de Gustavo De Conti foram decisivos e venceram por 84 a 80.

“Estou feliz de ganhar esse título. A gente trabalhou muito para chegar aqui. Sabíamos que seria um jogo difícil e a parte mental foi muito importante. O Gustavo e os jogadores me dão muita confiança para arremessar as bolas que eu fiz hoje”, declarou Hettsheimeir, que com 21 pontos e 7 rebotes foi eleito o MVP da Final.


+ Esportes