Formula Chopp

Governo de SP reforça apelo para que cidadãos evitem viagens no feriado da Páscoa

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 1 de abril de 2021 às 20:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Cidades do litoral paulista adotam barreiras sanitárias e restrição de atividades econômicas para desestimular fluxo e reduzir contágio pelo

Governo no São Paulo suspendeu operação descida para evitar o excesso de visitantes nas praias paulistas

 

Com a aproximação do feriado da Páscoa, no próximo domingo (4), precedido pela Sexta-feira Santa (2), o Governo do Estado de SP reforça o apelo que vem fazendo à população para que evite viagens desnecessárias neste período.

O pedido já havia sido feito em razão da antecipação de cinco feriados municipais de 2021 e 2022, entre os dias 26 de março até 4 de abril.

O objetivo é desestimular o aumento do fluxo de veículos rumo às praias do litoral paulista durante o feriado prolongado na capital e a fase emergencial do Plano SP, que foi prorrogada até o dia 11 de abril como medida para frear o aumento de novos casos, internações e mortes pelo coronavírus e conter a sobrecarga em hospitais.

Para isso, o Governo suspendeu até o dia 4 de abril a operação descida na Rodovia dos Tamoios (SP 099), um dos principais acessos às praias do Litoral Norte do estado, e também no Sistema Anchieta Imigrantes (SAI), que leva às praias do Litoral Sul.

A decisão atendeu o pedido dos prefeitos das cidades para conter o excesso de visitantes e foi adotada após rigorosas avaliações técnicas e de segurança viária para os usuários do sistema realizadas por técnicos da ARTESP (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo), da concessionária Tamoios, da concessionária Ecovias e de representantes dos municípios da Baixada Santista, Litoral Sul e Litoral Norte.

A ARTESP tem orientado os usuários a evitarem viagens desnecessárias e a adotarem as medidas de proteção.

Além disso, a ARTESP e as concessionárias reforçam em mensagens nos painéis eletrônicos das rodovias sobre a importância do isolamento social como forma de conscientizar motoristas e passageiros a ficar em casa e contribuir de maneira decisiva para evitar a contaminação pela COVID-19.

Barreiras sanitárias

Drones também serão utilizados no monitoramento rodoviário a fim de identificar aumento no fluxo de veículos pelas rodovias de acesso ao litoral paulista e nas rodovias litorâneas.

Além disso, vários municípios da região decidiram adotar a implantação de barreiras sanitárias de controle de entrada, com apoio da Secretaria de Segurança Pública do Estado de SP, e restrição de atividades econômicas com essa mesma finalidade.

A região da Baixada Santista optou por uma medida mais drástica com a adoção do lockdown em nove municípios.

Em Santos, principal município da região, a barreira sanitária na entrada da cidade já abordou 1.354 veículos e impediu a entrada de 33 condutores nesta primeira semana.

Só estão autorizados a entrar em Santos os motoristas de carro de passeio que comprovarem a necessidade de trabalho ou consulta médica, além dos munícipes.

A cidade de Guarujá implantou barreiras para controlar os acessos até o dia 4 de abril, com restrição de circulação de pessoas e veículos e funcionamento de serviços essenciais. O acesso é livre aos veículos cujos ocupantes comprovem domicílio no Município, e não apenas ocupação eventual.

As barreiras funcionarão 24 horas e estão montadas em seis pontos, tanto nas entradas do Município como nas travessias de balsas de Santos e de Bertioga.

Caso o condutor se recuse a retornar ao seu local de origem, o veículo poderá ser removido ao Pátio Municipal, podendo ser conduzidos, também, ao Distrito Policial para lavratura de boletim de ocorrência, informa a Prefeitura de Guarujá.

Em Bertioga haverá bloqueios de controle de acesso ao município 24 horas até o dia 4 de abril, instalados em três pontos: Avenida Dezenove de Maio, Centro, Rua Waldemar Costa Filho, Indaiá, e em Riviera.

Os demais pontos foram bloqueados com manilhas de concreto e faixas de sinalização.

As pessoas que tentam burlar as barreiras são multadas, por meio das câmeras de monitoramento 24 horas. Até o momento, 16.696 veículos foram abordados e 942 realizaram retorno, segundo a Prefeitura de Bertioga.

Já em São Vicente a Secretaria de Trânsito e Transportes (Setrans) informa que não haverá barreira sanitária neste final de semana, pois o procedimento já foi adotado na quinta-feira da semana passada (25) com o objetivo de restringir o acesso de turistas já no início do megaferiado da capital paulista.

Porém, o comércio permanece fechado e o acesso às praias continua bloqueado até o dia 4 de abril, incluindo acesso a barracas, colocação de cadeiras e guarda-sóis, prática de surf e atividades esportivas coletivas, de acordo com a Prefeitura de São Vicente.

Em Itanhaém também não serão realizadas barreiras sanitárias ou de orientação devido a geografia do município, que possui mais de 25 quilômetros de extensão e mais de 20 acessos, segundo a Prefeitura.

As equipes da Secretaria de Trânsito e Segurança e Guarda Civil Municipal estarão empenhadas na fiscalização e monitoramento constante para a proibição da permanência na faixa de areia das praias da cidade.

A cidade de Peruíbe conta com barreiras sanitárias volantes, sem local fixo que, estrategicamente, não têm seus horários divulgados.

Com o objetivo de evitar a disseminação do Coronavírus e consequente colapso do sistema de saúde, os municípios de Cananéia e de Ilha Comprida, decidiram em ação conjunta a instalação de barreira sanitária na Avenida Beira Mar, em Cananéia.

A Prefeitura de Ilha Comprida estabeleceu o fechamento das praias para o turismo.

 


+ Cotidiano