Governo de SP pede a Prefeituras que reforcem ações contra pandemia

  • Salvador Netto
  • Publicado em 1 de dezembro de 2020 às 22:46
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 10:09
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Estado pede a 62 municípios, incluindo Franca, ampliação de testagem e fiscalização contra aglomerações

O governador João Doria participou nesta terça-feira (1º) de videoconferência com prefeitos e autoridades locais de saúde de 62 cidades em atenção após aumento de casos e internações por covid-19. Na lista divulgada pelo Palácio dos Bandeirantes está Franca.

O Estado reforçou a parceria com os municípios e pediu a ampliação de testagem, rastreamento de casos confirmados e suspeitos, uso obrigatório de máscaras e fiscalização rigorosa contra aglomerações e festas clandestinas.

A reunião também teve a participação do vice-governador Rodrigo Garcia e dos secretários de Estado Jean Gorinchteyn (Saúde), Marco Vinholi (Desenvolvimento Regional), Patricia Ellen (Desenvolvimento Econômico) e Flavio Amary (Habitação). 

Para o governador, a colaboração dos prefeitos é fundamental para que o Plano São Paulo de controle da pandemia e flexibilização de atividades permita novas progressões em janeiro.

“Em nome da preservação da vida, vamos precisar muito da cooperação de todos assim como já obtivemos ao longo dos meses, mas especialmente neste final do ano. Reconhecemos que as pessoas estão cansadas dado o longo período dessa pandemia. Mas, até a chegada da imunização com as vacinas, não temos outra arma senão a proteção com máscaras, uso de álcool em gel e higienização das mãos, com distanciamento social e evitar aglomeração de pessoas”, declarou Doria.

O secretário de Saúde explicou aos prefeitos que a ampliação das taxas de testagem é uma arma para monitoramento e controle da pandemia. 

Diagnósticos positivos precisam ser acompanhados de rastreamento das pessoas que tiveram contato com o paciente, mesmo que estejam assintomáticas.

“Temos que testar os pacientes que têm pouco sintomas, como dor de garganta, nariz entupido e febre. E todas as pessoas que estiverem no entorno, os contactantes também devem ser monitorados do ponto de vista clínico e, se necessário, a testagem. Testar de forma precoce e isolar os pacientes é controlar a disseminação do vírus na nossa população”, disse Gorinchteyn.

Em outra frente, o secretário de Desenvolvimento Regional pediu que as Guardas Civis e a Vigilância Sanitária dos municípios sejam rígidos para coibir aglomerações em ambientes públicos e privados. 

A solicitação foi reforçada pelo vice-governador, uma vez que eventos irregulares e desrespeito às normas de distanciamento social podem ter facilitado a reaceleração do contágio entre jovens e adultos.

“Essa reunião é fundamental para apresentarmos ações de controle da pandemia em todo o estado para continuar avançando na retomada de atividades, mas preservando vidas”, declarou Vinholi. “Temos que ter um estado de atenção, e não de alarmismo. O combate à pandemia está nas nossas mãos e nas da sociedade. Quero agradecer a prefeitas e prefeitos por este esforço”, acrescentou Garcia.

O governo de São Paulo vai garantir apoio da Vigilância Sanitária Estadual a ações municipais e aumento de operações na Grande São Paulo, interior e litoral. 

A Polícia Militar também pode ser acionada pelas equipes locais para garantir a segurança de fiscais, principalmente em ações noturnas.

Os municípios em atenção possuem mais de 70 mil habitantes e apresentam, segundo a atualização mais recente do Plano São Paulo, ocupação média de leitos acima de 75% ou aumento de internações em mais de 10%, na comparação dos últimos sete dias com o mesmo período anterior.