Festas de Réveillon são canceladas devido à pandemia de covid-19

  • Joaquim Felix
  • Publicado em 19 de dezembro de 2020 às 13:31
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 12:06
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Cuidados com o Coronavírus fez prefeituras repensar em aglomerações no final de ano

Decoração natalina em Cristais Paulista - cidades da região suspenderam as comemorações de Reveillon

Franca, Rifaina, Delfinópolis, Pedregulho, Cristais Paulista, Restinga, Cássia, Ibiraci e tantos outros municípios querem evitar aglomeração neste final de ano.

Com o crescente número de casos de Covid 19, os líderes de executivo da região adotaram medidas para evitar o máximo de contaminação.

A tradicional festa de réveillon na capital paulista, por exemplo, que reúne todos os anos cerca de 1 milhão de pessoas na avenida Paulista, também foi cancelada nesta virada de ano, de 2020 para 2021. 

A decisão do prefeito Bruno Covas, anunciada em julho, tem o objetivo de evitar a aglomeração de pessoas e a propagação da covid-19.

Como a realização da virada de ano na Avenida Paulista requer uma organização de, pelo menos, três meses, o cancelamento ocorreu com essa antecedência. 

Na ocasião, Covas declarou: “não tem como a gente solicitar que as pessoas evitem aglomeração e a Prefeitura colocar recursos em um evento que junta um milhão de pessoas”.

Não foi apenas a versão presencial que foi cancelada no município. 

A festa da virada virtual que estava planejada também foi integralmente cancelada. Segundo informa o governo em nota, “com esta medida, a cidade de São Paulo espera enfatizar a importância de manter o distanciamento social e as medidas de prevenção à COVID-19 durante as festas de fim de ano.”

Segundo a prefeitura, a fiscalização na virada será a mesma que está sendo realizada nos demais dias do ano. 

Bares e restaurantes poderão funcionar de acordo com as restrições impostas na ocasião. 

Atualmente, todo o estado está na Fase Amarela do Plano São Paulo, em que os estabelecimentos funcionam com capacidade limitada a 40% da ocupação para todos os setores, com funcionamento limitado a dez horas por dia e até as 22h.

Nessa fase, também ficam proibidos eventos com público em pé. Espaços culturais nos quais o público fique sentado com distanciamento social e controle de fluxo continuam funcionando. 

A nova reclassificação do Plano São Paulo será anunciada no dia 4 de janeiro.


+ Cotidiano