Formula Chopp

Estudo online funciona, mas é preciso manter métodos rígidos e bastante disciplina

  • F. A. Barbosa
  • Publicado em 4 de maio de 2021 às 13:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

As questões emocionais pelas quais todos estão passando também devem ser levadas em consideração no estudo online

As questões emocionais pelas quais todos estão passando também devem ser levadas em consideração no estudo online

A rede escolar do SESI-SP reuniu especialistas para avaliar os desafios da aprendizagem em casa.

Foram compartilhadas dicas e orientações práticas para facilitar o dia a dia de pais e alunos durante o ensino não presencial.

A pedagoga e arteterapeuta, Neusa Kiryu, alertou que uma das funções da família é não assumir o papel do professor.

“Esse profissional continua sendo o especialista e possui a didática necessária para ensinar de um jeito diferente das aulas na escola”.

Portanto, nesse contexto do ensino não presencial, os pais devem ser apoiadores desses estudantes.

“Eles podem ser gestores, líderes dessas crianças e adolescentes, no sentido de ajuda-los na organização de horários, do ambiente de estudos e planejamento. Em qualquer faixa etária do processo de desenvolvimento dos filhos, os pais precisam estar junto, motivar, orientar. Mesmo os adolescentes não são totalmente autônomos para gerir sozinhos todas as responsabilidades”, completou a especialista em Neuropsicologia, Camila Ferreira Locateli.

As questões emocionais pelas quais todos estão passando também devem ser levadas em consideração, segundo a psicóloga educacional, Aida Santangelo.

Os pais devem observar alterações no comportamento dos filhos em relação ao humor, sono, se apresentam sintomas como irritabilidade, agressividade, ansiedade ou mesmo dificuldades em dar conta de atividades do dia a dia, antes realizadas normalmente.

“Tudo isso que estamos vivendo afetou emocionalmente esses alunos, muitos têm experimentado situações de medo extremo diante do inesperado, desilusão e tristeza pelo isolamento e a privação de ter uma vida social, não apenas pelo ensino remoto. Uma mudança drástica como essa pode ser fator de risco para a saúde mental, então, reconhecer e pedir ajuda é essencial”, orientou a psicóloga educacional, Aida Santangelo.

Estabelecer uma rotina em casa diante dessa nova realidade traz segurança e pode ser uma resposta positiva para lidar com todos esses desafios.

“Importante que essa rotina seja combinada de acordo com a realidade de cada família, que pais e filhos organizem juntos o tempo para todas as necessidades relacionadas aos estudos, mas também para fazer as refeições, descansar, além dos momentos de lazer, descontração e diálogo. Essa estruturação gera um senso de normalidade que ajuda na estabilidade emocional. Caso o formato de rotina não dê certo, não há problemas em readequar”, complementou Aida.


+ Educação