Formula Chopp

Brasil vê renda per capita derreter em 40 anos, mesmo com seu poderio econômico

  • Robson Leite
  • Publicado em 14 de abril de 2021 às 10:30
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Na América Latina, Chile, México e Argentina estão acima do Brasil em termos de renda média per capita.

À primeira vista, o Brasil tem um poder econômico impressionante. Medido pelo Produto Interno Bruto (PIB) em dólares, de acordo com a paridade do poder de compra, o Brasil ocupa a 8ª posição entre as economias mundiais.

Mas o quadro é completamente diferente se dividirmos o poder econômico pela população, ou seja, se forem considerados o PIB per capita e a paridade do poder de compra, sendo contabilizados também os diferentes custos de vida nos países.

De acordo com esse método, o Brasil ocupa atualmente a 85ª colocação entre 195 países do mundo.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) acaba de publicar novos prognósticos, segundo as quais os brasileiros continuarão perdendo renda em relação ao resto do mundo até 2026, quando chegarão à posição 90.

O assustador dessas estatísticas, porém, é a perspectiva histórica: em 1980, o Brasil ainda ocupava o 50º lugar entre os países do mundo, segundo a renda per capita de sua população.

Mas, desde então, entre sete e dez países superaram o Brasil a cada década. Há 40 anos que o Brasil vem caindo nesse ranking, que registra o que cada população tem disponível como renda.

Renda encolhe desde 2013

Os brasileiros tinham a renda comparativamente mais alta em 2013: era de, em média, US$ 15.886 no final do ano, ponderada de acordo com a paridade do poder de compra.

No final de 2020, os salários haviam encolhido para US$ 15 mil. As projeções de crescimento futuro do FMI em seu último relatório estendem-se até 2026.

Até lá, os brasileiros ainda não terão atingido a renda de que dispunham em 2013, dada a fraca expectativa de crescimento.


+ Economia