Brasil registrou 14.026 pessoas curadas do covid-19 até a última terça-feira, 14

  • Entre linhas
  • Publicado em 18 de abril de 2020 às 21:52
  • Modificado em 8 de outubro de 2020 às 20:37
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Segundo Ministério da Saúde, número representa 55% do total de 25.262 diagnosticados com a doença

Brasil tem mais de 14 mil pessoas curadas do novo coronavírus e números animam (Foto: Ermando Piveta/Reprodução)

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, disse na última terça-feira, 14, que o número de pacientes curados da Covid-19 hoje, no país, é de 14.026, que representam 55% do total de 25.262 diagnosticados com a doença. Outros 9.704 ainda estão internados.

Neste sábado, 18, o Ministério da Saúde contabilizou 2.347 mortes em decorrência do novo coronavírus, com 206 novos óbitos registrados nas últimas 24 horas. 

Já são 36.599 casos confirmados no país, onde o índice de letalidade segue em 6,4% —todos os números nacionais tem de ser levados em conta com cautela num contexto de amplo déficit de testagem e de atraso nos resultados das amostras já coletadas. 

Em todo o mundo, são cerca de 150 mil mortos pela doença. Um mapa da cidade de São Paulo, o epicentro dessa pandemia no Brasil, mostra que mulheres adultas são as mais infectadas e que é na periferia que se concentra o maior número de mortes.

Segundo Gabbardo, a pasta seguiu regra usada por todos os países que divulgam o número de pacientes recuperados. 

Ele ressaltou que a fórmula só pode considerar os casos confirmados da Covid-19, doença que vem sendo subnotificada no país, porque faltam testes e grande parte dos infectados não apresenta sintomas.

Gabbardo disse que a pasta começará a divulgar o dado de curados e negou que houvesse uma intenção de esconder a informação para dimensionar a doença mais grave do que ela é. 

– Até se criou uma narrativa um tanto estranha, tenho percebido nas redes sociais, que o Ministério da Saúde propositadamente não apresenta o dado de recuperação, tentando criar uma imagem de que o bicho é pior do que é realmente. Não é nada disso – afirmou Gabbardo.

Nesta terça-feira, 14, houve um recorde do número de mortos: 204 novos óbitos registrados nas últimas 24 horas, o que equivale a incremento de 15% em relação ao acumulado do boletim do Ministério da Saúde anterior.

Agora, são 1.532 mortes. O número de casos subiu 8%, chegando a 25.262.

*Globo e El País