Acidentes em fábricas de calçados continuam vitimando sapateiros

  • mmargoliner
  • Publicado em 9 de novembro de 2015 às 07:31
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Em Montes Claros (MG) sapateiro morreu depois de ficar preso a uma prensa em fábrica

Samu de Montes Claros atendeu à vítima, mas ela sofreu parada cardiorespiratória no hospital (Foto G1)

Os riscos de acidentes de trabalho em indústrias de calçados têm sido alvo de constante preocupação do Ministério do Trabalho em Franca e objeto de negociações do Sindicato ds Sapateiros com o Sindifranca, que representa os patrões.

Além dos riscos de acidentes, tenta-se chegar a um consenso sobre os equipamentos usados no dia a dia que também garantam, além da segurança, a saúde do operário do chão de fábrica.

E os acidentes continuam acontecendo, as vezes por falta de equipamentos de segurança, outras por imprudência e excesso de confiança do próprio sapateiro. 

E vem de Mnas Gerais, um doloroso exemplo de que é preciso avançar nesta questão dentro das fábricas. Um trabalhador de uma empresa de calçados que ficou preso em uma prensa na cidade de Montes Claros, morreu após ter ficado internado desde quinta-feira. 

O acidente aconteceu no Distrito Industrial da cidade na madrugada da última terça-feira.  

De acordo com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), o homem de 29 anos foi tentar tirar um objeto preso no equipamento. Ele entrou na máquina, ainda em funcionamento, e foi prensado. Ele teve politraumatismo

Ele foi socorrido pelo Samu e levado para a Santa Casa de Montes Claros (MG), nesta terça (3). A assessoria do hospital confirmou que o homem de 29 anos teve uma parada cardiorrespiratória.

O QUE DIZ A EMPRESA

Em nota, a Alpargatas S.A. lamentou o falecimento do homem e disse que está prestando toda a assistência aos familiares dele.

“A empresa reafirma que seus equipamentos possuem dispositivos de proteção e que todos os empregados da fábrica sempre fazem uso dos equipamentos individuais de segurança e passam constantemente por treinamentos com orientações sobre segurança”.