Pergunta que não quer calar: quando o calorão vai diminuir no Brasil? Veja aqui

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 7 de outubro de 2020 às 01:57
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Temperaturas entre 37°C e 43°C vão ser registradas em uma ampla área abrangendo estados de todas as regiões

A passagem de uma frente fria no último fim de semana conseguiu provocar chuva e aliviar um pouco o calorão de forma temporária em parte da Região Sul e em áreas do leste do Sudeste, como na capital paulista, no Rio de Janeiro e até em áreas do sul de Minas Gerais. 

No entanto, as temperaturas voltaram a subir de forma expressiva nessas áreas na última segunda-feira, 5 de outubro.

A maior parte do país ainda vai registrar temperaturas bem altas ao longo dos próximos dias, com chance de novos recordes em várias cidades.

Temperaturas entre 37°C e 43°C devem ser observadas em uma ampla área do país abrangendo estados de todas as regiões.

Além do calor extremo, a umidade relativa do ar vai continuar em acentuado declínio no Paraná, em grande parte da Região Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste,  com valores abaixo dos 20% nas horas mais quentes. 

A situação é ainda mais preocupante entre as cidades do interior de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, oeste da Bahia e Tocantins. Nestas áreas a situação é de emergência para valores abaixo dos 12%.

Mas, afinal, quando o calorão vai diminuir?​ 

A partir da segunda quinzena de outubro, as pancadas de chuva típicas da primavera já começam a acontecer de forma mais regular no centro-sul do Brasil, inclusive em áreas do Centro-Oeste. 

O calorão dos últimos dias não deve ser mais observado por um longo período como aconteceu com esta intensa onda de calor. 

A partir do meio de outubro, as nuvens e a chuva vão impedir que as temperaturas extrapolem tanto.