MAIS SOBRE A MÚSICA

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 3 de abril de 2017 às 09:44
  • Modificado em 29 de outubro de 2020 às 23:57
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

MR. JAZZ : 100 ANOS

O que é o JAZZ ? Um ritmo, um movimento, um comportamento, um estilo ?

Fiquemos com a terceira alternativa : um estilo, um jeito se fazer música. Uma maneira irrequieta de se compor e interpretar. Claro que há alguns ritmos que se destacam no contexto “jazzístico”, como, por exemplo, o fox, o dixieland, o ragtime, e por aí vai. Mas nesse caldeirão aí cabe de tudo e um pouquinho mais. É o toque, a “pegada” especial do músico, que vai determinar o enquadramento da peça musical dentro do contexto do jazz. A bossa nova, por exemplo, hoje é classificada lá fora como jazz. Fato é que, se formos a fundo falando de jazz, aqui não haveria espaço pra gente descrever tanta discussão e definição em torno do tema. Nosso objetivo hoje é apenas e tão somente lembrar que estamos comemorando exatos 100 anos da primeira gravação do que viria ser chamado de jazz e se tornar um dos estilos mais comentados e “exercitados” de todos os temos.

Essa história começou ali por volta de 1910 em New Orleans, Estados Unidos, logo se propagando por Chicago e Nova York, como manifestação artístico-musical, graças à criatividade das comunidades negras que habitavam essas regiões.

Apesar da origem entre a população negra, a primeira gravação de uma música do gênero, denominada “Livery Stable Blues”, aconteceu em 26 de fevereiro de 1927 e foi lançada em 7 de março do mesmo ano, por um grupo formado só por músicos brancos, cujo nome era “Original Dixieland Jass Band” e os instrumentos utilizados para a gravação foram trompete, trombone, clarinete e bateria. Ainda não se utilizava o contrabaixo, que só veio a ser inserido no contexto por volta de 1930. Antes (não no caso da gravação em pauta) o papel do contrabaixo era feito pela tuba, instrumento de sopro, que tocava as principais notas da harmonia.

Como você pode notar, a palavra era “jass”, com dois “s”. Mas, como era tida como palavra “de baixo calão”, que significava relação sexual numa das gírias oriundas da África, obviamente não era muito bem aceita entre pessoas mais cultas da época. Logo, optou-se pela grafia com dois “z”, virando “jazz” e disfarçando um pouco, acabando por ser aceita durante os anos seguintes.

Acessando o vídeo abaixo, você ouve a gravação “Livery Stable Blues”, tida como original, conforme descrito no texto acima.

No nosso “BENY CHAGAS MUSIC SHOW” desta semana destacamos uma gravação mais recente, com sonoridade mais clara, através do clarinetista Acker Bilk e sua orquestra.

Fontes :   Informações da Internet

                           Arquivo pessoal

                           Foto: Liga Entretenimento/Divulgação

CONTROL C- CONTROL V : MAIS 5 SOBRE O JAZZ

1. Swing
O swing foi um ritmo muito apreciado nos Estados Unidos dos anos 20 até o final da Segunda Guerra Mundial. A época que vai de 1938 a 1943 ficou conhecida como a “era do Swing”. As principais características desse estilo são o caráter dançante das composições e o tamanho das bandas, que geralmente contavam com vários músicos. O swing ficou conhecido como uma derivação popular do jazz.

2. Bebop
O bebop surgiu logo depois do swing e seguia uma linha completamente contrária. Tinha como grandes características as bandas com poucos músicos, normalmente dois ou três, e as sequências rítmicas complexas, com amplo uso de notas dissonantes. Esse estilo não tem muita aceitação até hoje entre o grande público por possuir uma estrutura muito complexa. O nome bebop veio da onomatopeia criada pelos jazzistas ao imitarem as sequências frenéticas tiradas de seus instrumentos.

Um dos ícones do bebop (e também dos estilos seguintes) foi Miles Davis, que você ouve no “BENY CHAGAS MUSIC SHOW” desta semana.

3. Cool  jazz
Este estilo começou a ser praticado em 1949 em resposta aos ágeis acordes do bebop. O cool era mais calmo, quase comparável ao blues. Recebeu esse nome por ser considerado uma derivação menos emotiva do jazz – “cool” seria uma alusão a “frio”.

4. Free jazz
O free jazz surgiu na década de 60 de carona no movimento vanguardista da época. O estilo é caracterizado pela improvisação, que neste caso é levada ao extremo. No free jazz, os músicos não seguem nenhuma linha nem temas – eles partem de alguns acordes combinados previamente e a partir daí cada músico cria o que bem entender.

5. Fusion
O estilo de jazz fusion nasceu da mistura do jazz com o rock, iniciada nos anos 70. Mais tarde, o gênero passou a ser chamado apenas de fusion. O estilo aproximou o jazz à linguagem da época, tornando-o mais popular. Para chegar ao fusion, o jazz teve de deixar de lado instrumentos acústicos para valer-se da força dos instrumentos elétricos. A complexidade rítmica também perdeu valor.

Fontes : Internet e caderno de notas

Foto: Liga Entretenimento/Divulgação

BENY CHAGAS MUSIC SHOW

Mais Brasil FM – 101,3 Mhz – Franca, SP : sábado e domingo às 10h.

radionovaip.com.br – Ribeirão Preto – SP : Sábado às 11h e  domingo às 12h.

ponto1000.com – Ribeirão Preto – SP : segunda a sexta  07 e 22h.

                                                                  sábado  07, 10 e 22h.

                                                                  domingo  07, 12 e 22h.

portalmusicalfranca.com.br – Franca – SP : quinta, sexta e sábado 18 h.      

Envie suas sugestões para inclusão nos roteiros de programação: (16) 3017-2030, whats app (16) 9 8192-6052 e e-mail [email protected]

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.