Por que temos chulé? Dermatologista explica e ainda diz sobre como deve ser tratado

  • Teo Barbosa
  • Publicado em 4 de agosto de 2022 às 17:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Dermatologista do Sistema Hapvida explica a questão do chulé e diz que problema deve ser tratado com ajuda especializada

Diogo Pazzini Bonfim, médico dermatologista do Sistema Hapvida

Tirar o sapato em público pode ser extremamente constrangedor para algumas pessoas, especialmente se elas tiverem problemas como o odor na planta dos pés, o famoso chulé.

Esse cheiro característico pode ser causado por fungos e bactérias. Porém, nem sempre a podobromidrose (nome científico do chulé) tem relação com a falta de higiene.

Segundo Diogo Pazzini Bonfim, médico dermatologista do Sistema Hapvida, o problema pode se agravar na puberdade.

“Existem glândulas na região da planta dos pés que se desenvolvem na adolescência e, por isso, a podobromidrose pode ser ainda mais acentuada nessa fase da vida”, diz.

Mau odor

Ele explica ainda que as causas precisam ser investigadas, pois problemas de saúde podem contribuir para o mau odor.

“Algumas doenças podem estar envolvidas e podem agravar o chulé, como diabetes, alterações da tireoide e também as hormonais. Mas, o ideal é consultar um médico pois o excesso de suor e mau odor podem ser sinais de micoses e infecções bacterianas, que vão precisar de tratamento medicamentoso”, frisa Bonfim.

A alimentação e o ambiente são outros fatores que podem influenciar no chulé. “Poluição, bebidas alcoólicas e temperos como alho e cebola podem exercer influência no suor e odor, embora não haja comprovação científica desta relação”, pondera.

Já em relação a tratamentos, o médico afirma que alguns produtos podem ser indicados para atenuar o problema, desde que alguns cuidados sejam tomados.

“De forma geral, oriento lavar bem os pés, secar entre os dedos e usar meias de algodão, além de não repetir meias e sapatos”, finaliza o dermatologista.