Chegada do Natal aumenta a produção de panetones artesanais em Franca

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 9 de novembro de 2019 às 15:15
  • Modificado em 8 de outubro de 2020 às 20:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Empresário confirma contratação de oito temporários para atender demanda esperada para o fim do ano.

O empresário Márcio Franchini contratou oito temporários para sua fábrica de doces em Franca (SP), na expectativa de aumento das vendas de panetones artesanais para o Natal.

“Todo ano existe um crescimento, um aquecimento nas vendas aqui por nossos produtos estarem ligados a festas e comemorações. Já aconteceu aqui de no mês de dezembro a venda crescer até 40%”, conta.

O produto é uma das principais apostas desse mercado de doces para o fim do ano. A Associação Brasileira da Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (Abimapi) estima um aumento de 5% nas vendas em todo o país em relação a 2018.

A aposta para acompanhar esse crescimento está na inovação de sabores e embalagens personalizadas na fábrica da empresária Nelise Helena Lima de Melo. 

“Pra nós aqui da empresa é importantíssimo o que a pessoa vai sentir na hora de comer, principalmente a primeira reação na hora de ver, essa alegria do Natal”, conta.

O segredo, segundo ela, é ficar atento aos detalhes, especialmente na qualidade da matéria-prima utilizada. Um pouco de criatividade e de paixão pelo ofício também ajudam, afirma Nelise.

Nelise Lima de Melo, empresária e artesã de chocolates em Franca

“Sempre que nós trabalhamos com chocolate ou com todas as matérias-primas é importantíssimo ser um primor, desde a hora que escolho as frutas”, afirma.

Na fábrica de Franchini, os doces que devem ser dados de presente também resultam da habilidade dos profissionais contratados.

“Ela [a pessoa] precisa ter muito cuidado, muito carinho, capricho, organização e aqui a gente dá o treinamento necessário e quem tem essa facilidade pega rápido”, diz.

Funcionária na doceria, Jéssica Souza começou como temporária antes de ser efetivada.

“Eu queria muito, precisava, e aqui eles abriram a porta, empresa de família, e Natal simboliza família. Mesmo eu não sabendo eles me deram a oportunidade, colocaram pessoas para me ensinar, então foi uma porta que se abriu e que não se fechou mais”, conta.

(Com informações do G1 Ribeirão)