Doria repete Bolsonaro e considera igrejas e atividades religiosas como essenciais

  • Robson Leite
  • Publicado em 1 de março de 2021 às 14:30
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

No vídeo divulgado pelo Governo do Estado de São Paulo, Doria fala apenas em igrejas, mas o decreto é válido para quaisquer atividades religiosas

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), lançou o mote “esperança, fé e oração” para anunciar nesta segunda (1) um decreto que enquadrará como atividades essenciais todas as igrejas do estado.

Assim, templos poderão funcionar durante eventuais lockdowns para conter o avanço da Covid-19, como supermercados e farmácias, por exemplo.

O texto será publicado nesta terça (2) no Diário Oficial, segundo Doria.

“O decreto reconhece a essencialidade de todas as igrejas no estado de São Paulo e o seu funcionamento com a regularidade, obedecidos os critérios sanitários de proteção aos que dela participam. Esperança, fé e oração: com vacinas, vamos vencer a Covid. Viva a vida”, disse o governador, ao lado de deputados federais e estaduais paulistas que integram frentes parlamentares evangélicas.

Na semana passada, o governador havia barrado proposta similar: um projeto de lei do deputado estadual Gil Diniz (sem partido) que estabelecia atividades religiosas como essenciais em tempos de crises.

Em Franca, o monsenhor José Geraldo Segantin, pároco da Igreja Santo Antônio, na Cidade Nova, disse:

“Fiquei muito alegre ao receber o vídeo onde o Governador declara, oficialmente, a Religião como necessidade essencial para os cristãos. Em nenhum combate Deus pode ficar de lado. Ele é Vida e a vida é um presente que recebemos dele”, afirmou.

Monsenhor Jose Geraldo disse que “no momento em que vivemos, quando nos sentimos tão fragilizados, deprimidos, limitados, a religião é um sustento sólido para nós, humanos. Louvo e bendigo a Deus por essa serena decisão”.

Já pensando nas celebrações que poderá fazer em condições normais a partir de agora, o religioso disse que “Deus nos cura por dentro. Os remédios e o respeito pelas orientações que recebemos (máscara, álcool gel, sem aglomeração) também trazem a cura”.

Para o monsenhor, “a vacina é fundamental. Acredito que todos os colaboradores do Governador perceberam que a Igreja está obedecendo, com rigor, os protocolos”.

Segundo José Geraldo Segantin, ” vamos rezar e pedir a Deus que os demais setores vitais da sociedade, sejam liberados também. Deus em nós. Deus conosco. Deus nos curando”, afirmou.

No vídeo, Doria fala apenas em igrejas, mas o decreto é válido para quaisquer atividades religiosas. Veja aqui: