Formula Chopp

Emagrecer? Dormir melhor? Descubra o melhor tipo de chá para cada objetivo!

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 5 de abril de 2021 às 16:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Os chás estão ganhando cada vez mais espaço entre as pessoas que buscam escolhas mais saudáveis para a alimentação

Chás estão ganhando cada vez mais espaço no dia a dia de pessoas que procuram escolhas mais saudáveis

 

Os chás estão ganhando cada vez mais espaço entre as pessoas que buscam escolhas mais saudáveis para a alimentação.

De acordo com uma pesquisa da empresa de consultoria de mercado Euromonitor, anualmente, cerca de 331 bilhões de litros de chá quente e 41 bilhões de litros de chá gelado são consumidos no mundo.

A popularidade dessa bebida milenar, preparada a partir de folhas, raízes, frutas e ervas, justifica-se pelos múltiplos benefícios que ela traz para a saúde.

De acordo com as plantas escolhidas, a infusão pode, por exemplo, ajudar no processo digestivo, acalmar, combater a retenção de líquidos e até colaborar em dietas de emagrecimento.

“O poder do chá está fortemente relacionado às altas concentrações de antioxidantes presentes em suas folhas e que são liberados no líquido após a infusão, que pode ser realizada a frio ou quente”, pontua a sommelier de chá Fabi Calvo.

Dicas para obter o máximo de sabor e benefícios do chá

Para obter o máximo proveito do chá, alguns cuidados precisam ser levados em conta na hora do preparo.

O tempo ideal de infusão varia de acordo com o tipo de chá: branco, verde, matcha, preto, amarelo, etc.

A temperatura da água é outro ponto que exige atenção, pois também precisa ser adequada, começando em 70 ºC para chás mais delicados, como o amarelo e o branco, podendo ir até 85 °C ou 90 ºC para chás escuros.

“Se a água for quente demais as folhas queimarão, o que comprometerá o sabor e a qualidade da bebida”, ensina Fabi Calvo.

Outra dica da especialista é que o tipo de chá seja escolhido de acordo com o principal objetivo da pessoa que irá consumi-lo. Veja algumas sugestões da sommelier Fabi Calvo.

Diferentes chás para diferentes objetivos

Para emagrecer: o chá é uma excelente opção de bebida para quem está de dieta, pois é naturalmente sem calorias e ajuda a acelerar o metabolismo.

O chá puerh – chá fermentado conhecido no Brasil como chá vermelho – é o mais adequado para auxiliar no processo de emagrecimento. Pois, a cafeína, somada aos polifenóis, ajuda na diminuição da absorção de gordura, potencializando a perda de peso.

Os chás comprados prontos em latas e garrafas podem ser armadilhas, muitas composições vendidas no mercado apresentam adição de açúcares, adoçantes artificiais e outros ingredientes que podem comprometer a tabela nutricional do produto.

Para aumentar a disposição: para quem não gosta de café ou deseja reduzir o consumo da bebida, mas precisa de um “gás” a mais no dia para dar conta das tarefas, o chá preto e o matcha podem ser excelentes aliados.

“Logo pela manhã, tomar uma xícara de chá preto ou matcha ajuda a mandar o desânimo para longe”.

“O consumo do matcha, que é um pó verde bem intenso e fininho, deve ser limitado a até três xícaras por dia, evitando-se o consumo no período da tarde e da noite, pois esse é um chá extremamente estimulante devido à alta concentração de cafeína”, orienta Calvo.

Para melhorar a digestão: sabe aquela sensação de que exagerou durante a refeição? Chás que ajudam no processo digestivo podem aliviar a sensação de barriga pesada.

Uma xícara de chá Oolong, também conhecido como chá azul, é uma alternativa natural aos remédios à venda em farmácias.

Para dormir melhor: o mito de que não se deve tomar chá antes de dormir é, na verdade, um mal entendido.

“De fato, algumas variáveis, como o Oolong, devem ser evitadas antes de dormir por possuírem ação estimulante”.

“Contudo, nos chás branco, amarelo e verde, as substâncias responsáveis por essa excitação estão menos presentes e não interferem no sono, podendo, inclusive, ser aliados no processo de relaxamento”, explica Fabi Calvo.

*Informações Metrópoles


+ Bem-estar