Dois em cada 3 jovens assumem alto consumo de bebidas açucaradas

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 20 de outubro de 2018 às 12:24
  • Modificado em 8 de outubro de 2020 às 19:06
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Mais de 52 mil, dos 80 mil entrevistados, consomem refrigerantes, sucos e chás com alto índice de açúcar

Dois em cada três adolescentes
avaliados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) consomem bebidas açucaradas com
regularidade. É o que dizem os dados do Sistema de Vigilância Alimentar e
Nutricional (SISVAN) divulgados pelo Ministério da Saúde, referentes ao ano de
2018.

Foram analisados 80.438 adolescentes. Destes, 52.838
dizem consumir bebidas açucaradas (66%) – refrigerantes, sucos, chás gelados
com altos índices de açúcar. Por outro lado, 69% deles – 55.316 pessoas –
disseram também consumir frutas. Já o hábito de assistir televisão e comer ao
mesmo tempo é comum para 68% dos adolescentes.

Em 2016, a Organização Mundial
de Saúde pediu o aumento de impostos sobre as bebidas açucaradas. A agência da
ONU afirma que existem provas contundentes de que novos impostos cobrados sobre
essas bebidas, como refrigerantes, “reduziriam proporcionalmente seu
consumo”.

Um aumento de 20% dos preços desse tipo de bebida teria
uma redução do consumo da ordem de 20% e um aumento de 50% reduziria o consumo
pela metade, segundo a OMS.

“Dados revelam que adolescentes com obesidade aos
19 anos têm 89% de chance de ser obeso aos 35 anos, por isso é necessário
investir na promoção de uma alimentação adequada e saudável, especialmente na
infância e na adolescência, tendo em vista a relação de práticas alimentares
inadequadas com o aumento da obesidade na população”, disse Eduardo Nilson,
coordenador-substituto de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde.