Cientistas criam faca de madeira três vezes mais afiada que a de aço

  • Nina Ribeiro
  • Publicado em 23 de outubro de 2021 às 08:30
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Além de cortar melhor do que as facas de aço, as facas de madeira podem ser lavadas e reutilizadas normalmente

Nova tecnologia permite fabricar facas mais afiadas que as de aço

 

Quando pensamos em faca logo vem à mente uma lâmina de aço afiada. E se alguém disser que uma faca de madeira pode ser até três vezes mais afiada, possivelmente poucas pessoas acreditariam.

Mas uma nova tecnologia para endurecer madeira natural permitiu fabricar facas mais afiadas que as de aço inoxidável.

A técnica, que torna a madeira 23 vezes mais dura, foi desenvolvida pela equipe do professor Teng Li, da Universidade de Maryland, nos EUA, que já havia criado uma madeira tão dura quanto o titânio, além de esponjas de madeira e até baterias feitas com madeira e sal.

Além de cortar melhor do que as facas de aço, as facas de madeira podem ser lavadas e reutilizadas normalmente, como qualquer outro utensílio doméstico, o que as torna uma alternativa para as facas de aço, cerâmica e as descartáveis de plástico.

Embora seja largamente usada na construção civil e na marcenaria de móveis, a madeira tem uma resistência inferior à da própria celulose porque a madeira é composta por apenas 40% a 50% de celulose, sendo o restante composto por hemicelulose e lignina, que atuam como aglutinantes.

“A celulose, o principal componente da madeira, tem uma relação resistência/densidade mais alta do que a maioria dos materiais de engenharia, como cerâmicas, metais e polímeros, mas nosso uso atual da madeira mal toca todo o seu potencial,” comparou o professor Li.

A equipe partiu então para processar a madeira de modo a remover seus componentes mais fracos sem destruir o esqueleto de celulose.

“É um processo de duas etapas,” conta Li. “Na primeira etapa, deslignificamos parcialmente a madeira. Normalmente, a madeira é muito rígida, mas, após a remoção da lignina, ela se torna macia, flexível e um tanto mole. Na segunda etapa, fazemos uma prensagem a quente, aplicando pressão e calor à madeira processada quimicamente, para densificá-la e remover a água.”

Depois que a madeira endurecida é processado e esculpida na forma desejada, ela precisa apenas de um revestimento comum, um óleo mineral, o mesmo produto aplicado em tábuas de carne, para estender sua vida útil.

A celulose tende a absorver água, por isso esse revestimento preserva o fio da faca durante o uso e na lavagem na pia ou lava-louças.

A equipe também demonstrou que a madeira endurecida pode ser usada para produzir pregos de madeira tão afiados quanto pregos de aço convencionais – e, ao contrário dos pregos de aço, os pregos de madeira são resistentes à ferrugem.

Os pesquisadores demonstraram os pregos de madeira martelando-os para fixar três pequenas tábuas até que ele saísse do outro lado, sem apresentar qualquer dano em sua ponta perfurante.

Li espera que, no futuro, a madeira endurecida também possa ser usada para fazer pisos de madeira mais resistentes a arranhões e ao desgaste.

O trabalho agora é verificar a viabilidade econômica do processamento da madeira. A primeira etapa requer ferver a madeira a 100 ºC em um banho de produtos químicos, que podem ser reutilizados de lote para lote. Para efeito de comparação, o processo usado para fazer cerâmica requer aquecer os materiais até alguns milhares de graus Celsius.

*Fonte: Isto É Dinheiro


+ Curiosidades