Cafés especiais e orgânicos alavancam agronegócio na região de Franca

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 27 de outubro de 2015 às 11:45
  • Modificado em 8 de outubro de 2020 às 17:29
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Região tem selo de Indicação de Procedência da Alta Mogiana, que garante qualidade do produto

Cafeicultores da região da Alta Mogiana se reuniram na segunda-feira, 26, em ranca, no Encontro de Relacionamento e Negócios entre os associados da AMSC (Associação dos Produtores de Cafés Especiais da Alta Mogiana), conhecida internacionalmente como Alta Mogiana Specialty Coffees. 

Um dos destaques foi a apresentação do café orgânico, da Fazenda Bela Época, de Ribeirão Corrente. André Luís da Cunha, presidente da AMSC e sócio diretor da propriedade fez a apresentação do produto, apostando neste cada vez mais no segmento, fortalecido pela certificação do selo de cafés especiais através da Indicação de Procedência da Alta Mogiana. Junto com ele estavam os também diretores da Bela Época, Luís Cláudio da Cunha e Elaine da Cunha. 

A Fazenda fica localizada na Rodovia Vicinal Franca a Ribeirão Corrente – Via Engenho Queimado (km 16 da Rodovia Benedito Pereira Da Silva), ao lado da conhecida Fazenda Monte Alegre, também da família de Luís da Cunha Sobrinho, pai de André. 

André se mostra confiante, pois a produção do café orgânico cresce a passos largos e ocupa mercados para exportação. Mas tudo deve ser feito com muita dedicação e cuidado, pois os critérios de classificação de café orgânico são rigorosos.

Segundo especialistas do SEBRAE, para que um café possa adotar essa denominação, deve ser produzido com base em princípios de não utilização de agrotóxicos. 

Outro fator importante é a adoção de sistemas de produção orgânica que possam oferecer um equilíbrio entre o solo e a planta, a partir do uso da matéria orgânica, resultando em plantas mais resistentes a pragas e doenças.

Essa cultura deve seguir a filosofia mais ampla da agricultura orgânica e adotar princípios básicos e sistemas de certificação capazes de atestar e garantir as características inerentes, permitindo assim a busca de posicionamento e valores diferenciados no mercado.

ENCONTRO – O “Encontro de Relacionamento e Negócios entre os associados da AMSC” teve o apoio do Sebrae-SP, por meio do Escritório Regional de Franca, e aconteceu no Senai. 

O objetivo foi fazer com que os produtores de café apresentassem suas marcas de cafés torrados ou moídos para empresas de alimentação fora do lar e meios de hospedagem.

Os produtores da Região da Alta Mogiana fizeram a negociação de seus cafés com os interessados, apresentando o produto nas embalagens e com degustação. 

TRADIÇÃO – A Região da Alta Mogiana é tradicional produtora dos melhores cafés paulistas em virtude de sua grande altitude, clima favorável e larga experiência na produção de cafés finos. 

A região possui o registro de Indicação de Procedência da Alta Mogiana, que garante ao comprador que o produto tem procedência, qualidade e foi feito com responsabilidade. “Esta foi uma ótima oportunidade para os empresários de alimentação fora do lar e meios de hospedagem, que puderam oferecer ao seu cliente um produto diferenciado, especial e reconhecido internacionalmente”, contou Simone Goldman Batistic Ribeiro, consultora de Agronegócios do Sebrae-SP em Franca.

VEJA ALGUNS TIPOS DE CAFÉS APRESENTADOS NO ENCONTRO