Tem cheiro de 30 no ar!

Postado em:

​Quando no começo da minha adolescência escutava Sandy & Junior cantando: ‘eu cresci agora sou mulher, tenho que encarar com muita fé’ eu realmente não sabia que precisava de tanta fé assim. Pois é, Acordando me despedindo dos 20 e poucos anos de Fábio Jr, e amanhã vou sextar ao som de: ‘não confie em ninguém com mais de 30 anos’.

Passar dos 20 para os 30 é como atravessar uma corda bamba ouvindo Elis cantar O Bêbado e o Equilibrista, tentando segurar um bocado de coisas importantes sobre braços, ombros e costas. A gente só mergulha nessa travessia porque não sabe direito o que tem do outro lado, mas é provável que as escolhas mais decisivas da vida sejam feitas nesse período.

É como se 10 anos significassem uma vida toda, a fase descompromissada e deliciosa da faculdade chega ao fim, o trabalho sério começa com a sensação de que você não tem a menor ideia do que está fazendo (não, você não é o único a achar que está enganando as pessoas, ou pensando como alguém pode confiar no que está dizendo ou fazendo). As pessoas mais velhas ao seu redor ficam repetindo que essa é a melhor fase da vida, e que é preciso viajar muito e conhecer o mundo, mas o que elas não te explicam é como faturar na mega sena, porque o vazio da sua conta bancária simplesmente não faz sentido. E durante esse tempo, você pode também sentir que a profissão que você foi escolhida com tanta certeza e amor começa a mostrar as garras, fazendo você se questionar se é aquilo mesmo você quer para o resto da vida.

As baladas ficam escassas, o netflix se torna uma agradável companhia no fim do dia e finais de semana, aprende para que serva cada produto de limpeza no supermercado, e que alguns tipos de refeição que você nem considerava como comida passam a fazer parte da sua dieta. Aquelas amizades que se juravam eternas em cartinhas nos cadernos de depoimentos da escola, se tornam suaves lembranças e você começa a entender quando sua mãe dizia que os verdadeiros cabem nos dedos de uma só mão.

Você já sustenta opiniões próprias (por piores que sejam), e se vê relendo sobre a história mundial para entender o que se passa pelo mundo, e pensa porque não prestou mais atenção naquelas aulas de geografia. Começa a ler mais livros e jornais, e ter mais senso crítico com aquilo que vê e fala.

Sabe, amanhã chega meus 30, talvez ainda não tenha decidido o quanto gostaria sobre minha vida, mas certamente seu o que não quero para ela. Acredite, você provavelmente já terá feito as pazes com seu cabelo, adotado um estilo de se vestir que reflita o pout pourri de emoções que transborda da sua alma. Você não faz ideia da quantidade de sapos que vai ter engolido até aqui, mas a parte boa é que aprenderá com cada um deles a ter um jogo de cintura sensacional. Hoje estou aqui refletindo e percebendo que desde os 20 eu estava ali treinando, caindo, me machucando e me reinventando para essa nova década de vida que é nada mais é que um incrível desordenado de dias a serem vividos um de cada vez!​