Sorte ou azar?

Postado em:

Nesta sexta-feira, conheceremos os adversários da Seleção Brasileira na 1ª fase do Mundial da Rússia. Independentemente de quais forem os oponentes da trupe de Tite, quem quer ser campeão não se pode dar ao luxo de escolher rivais mais fortes, medianos ou fracos. A Copa é um torneio de tiro curto e não permite vacilos de forma alguma. Cada partida deve ser encarada como uma autêntica decisão. O curioso é que geralmente, a equipe que conquista o Mundial se forma durante a competição. Um ajuste aqui outro acolá e pronto. Precisa obviamente estar preparado mentalmente. Penso da seguinte forma: é pior as vezes enfrentar logo de cara seleções inexpressivas. Porque pode haver um relaxamento natural e quando a competição for se afunilando as coisas vão se tornando cada vez mais complexas. O bacana da Copa são as zebras que surgem repentinamente. E na Rússia não descartaria termos um campeão inédito. Bélgica, Portugal... Muito se fala da Alemanha, atual campeã do mundo. Mas por incrível que possa parecer, não apostaria nos germânicos desta feita. E o Brasil? Está bem, mas creio que terá dificuldades para furar retrancas europeias e dos demais continentes. A sorte ou azar vai ser lançada. Venha quem vier, será preciso matar ou morrer!


*Esta coluna é semanal e atualizada às quintas-feiras.