Shamell lidera e Mogi bate o Sesi Franca Basquete, no Hugão, pelo brasileiro

Francanos perde o clássico por 72 a 71, com arremesso do norte-americano nos segundos finais

Postado em: em Basquete

Foi com show de Shamell, maior cestinha da história do NBB, que o Mogi das Cruzes venceu o clássico paulista contra o Sesi/Franca Basquete, na noite desta terça-feira (12/12), no Ginásio Prof. Hugo Ramos, o Hugão.

Com cesta de Shamell a um segundo do fim, os mogianos superaram os rivais francanos, por 72 a 71, em um jogo extremamente equilibrado, e se mantiveram na cola do líder Pinheiros.

O primeiro tempo foi de muita velocidade e equilíbrio no Hugão.Se pelo Mogi, Tyrone esteve inspirado, no lado francano, Pedro, Coelho e Mineiro, contribuíram muito bem. Com aproveitamentos nos pontos praticamente igual, os dois times tiveram momentos bons e ruins ao longo dos 20 minutos iniciais, com Franca liderando a maioria a maioria do tempo, enquanto a equipe mandante esteve à frente nos dois minutos iniciais e finais do primeiro tempo. Resultado, vantagem mogiana por apenas dois pontos, 40 a 38.

Assim como em grande parte do primeiro tempo, Franca buscou a liderança assim que os times voltaram do intervalo. Em um grande trabalho defensivo ao longo de todo terceiro quarto, o elenco francano forçou o Mogi a apenas oito pontos na parcial. Ofensivamente, Pedro, Coelho, Léo e Gruber somaram todos os 16 pontos do time no período, levando uma vantagem de seis pontos para os dez minutos finais (54 a 48).

Em um quarto final equilibrado assim como toda a partida, os dois times chegaram ao último minuto com o jogo empatado. A 30 segundos do fim, Rafael Mineiro colocou os visitantes em vantagem com dois lances livres (69 a 67). Na posse seguinte, Shamell serviu Wesley Sena embaixo da cesta, que sofreu falta, foi à linha do lance livre e converteu apenas um arremesso.

Na saída francana, Shamell roubou a bola de Pedro, sofreu falta do ala e, aí sim, converteu os dois lances livres, colocando os mandantes um ponto à frente. Com 11 segundos no relógio, o Franca trabalhou uma jogada rápida para Léo Meindl, que infiltrou e fez bandeja fácil, colocando seu time novamente à frente, com cinco segundos restantes. 

A bola decisiva só poderia cair na mão do camisa 24 mogiano. Em passe lateral de Larry Taylor, Shamell recebeu a bola, infiltrou rapidamente, atacou a cesta e converteu a bola da vitória para o Mogi, levando o Hugão à loucura.

Fazendo um jogo até então comum, Shamell chamou a responsabilidade para si no quarto final e liderou o Mogi à vitória. Com 13 pontos na parcial, incluindo os dois que deram o triunfo ao time mandante, o camisa 24 foi o grande cestinha da partida, com 21 pontos anotados, além de somar três rebotes e seis assistências.

“Começamos mal e eu estou bem cansado, mas vale tudo nesses jogos. Lutamos até o final, esse é o Mogi. No NBB não tem jogo fácil, a competição é assim e essa temporada vai ser muito boa”, declarou Shamell, cestinha da partida e dono da cesta da vitória.

Com a vitória, o Mogi chegou ao triunfo em oito partidas, e se manteve colado no líder, e único invicto, Pinheiros. Já o Franca perdeu duas posições com a derrota, caindo para sétima colocação, agora com três resultados positivos e outros três negativos.

Apesar da grande atuação de Shamell no último quarto ter roubado a cena, o Mogi contou com outras boas contribuições individuais. Como a de Larry Taylor, dono de 12 pontos, oito rebotes, três assistências e dois roubos de bola, e Wesley, que em mais uma ausência de Caio Torres, teve 32 minutos de atuação e somou 11 pontos e seis rebotes.

Franca liderou a grande maioria do tempo e perdeu o clássico paulista no detalhe, em uma bela atuação coletiva. Ao todo, cinco atletas atingiram dez ou mais pontos, Com destaque para Pedro (13 pontos e cinco rebotes), Coelho (12 pontos, seis rebotes e quatro assistências), Léo Meindl (11 pontos, seis rebotes e cinco assistências), Mineiro (10 pontos e seis rebotes) e Gruber (10 pontos).

“É difícil falar que perdemos no último segundo. É claro que a gente cometeu um erro na defesa ali, mas isso acontece. O problema foi que cometemos erros durante todo o jogo que não poderiam ter sido cometidos. Mesmo assim fizemos boas defesas, trabalhamos bem no ataque, mas é jogo de alto nível. Eles tiveram mérito também”, analisou Léo Meindl, ala do Franca.

Na sequência do NBB, Franca viaja até Sorocaba (SP), para enfrentar a Liga Sorocabana, nesta quinta, às 20 horas. Já o Mogi tem como próximo compromisso mais um clássico, diante do Bauru, novamente dentro de casa, no sábado (16), às 14 horas (de Brasília), com transmissão ao vivo da Band.


Artigos Relacionados