Sem acordo com a Prefeitura, servidores de Franca ameaçam greve

Classe não aceitou a proposta de aumento de 3,94% nos salários e abono escolar de R$ 285

Postado em: em Política

Presidente do Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos de Franca e Região​, Luís Fernando Nascimento, fará nova tentativa de negociação (Foto: Reprodução)


​Escolas, unidades básicas de saúde e atendimentos primordiais para o bom funcionamento da cidade podem parar nos próximos dias. Pelo menos é isso o que o Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos de Franca e Região ameaça, caso o prefeito Gilson de Souza não reveja a proposta apresentada no que se refere ao aumento salarial da classe.

A Prefeitura ofereceu aumento de 3,94% nos salários, abono escolar de R$ 285 e aumento no vale-alimentação de forma progressiva, sendo de R$ 450 até julho, R$ 470 até dezembro e R$ 500 até janeiro de 2020, mas os servidores rejeitaram. Apesar do descontentamento e da ameaça de paralisação, os servidores municipais ainda esperam que o prefeito reconsidere e melhore sua proposta. No entanto, o presidente do Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos de Franca e Região, Luís Fernando Nascimento, é taxativo: “tentaremos uma nova rodada de negociação. Se eles não melhorarem as propostas, a próxima assembleia vai decidir pelos protestos de paralisação", afirmou o representante da classe, que reivindica 4% de aumento real somado aos 3,43% de reajuste referente à reposição da inflação, com base no INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), enquanto os pedidos de aumento em benefícios são de R$ 600 para o vale-alimentação e R$ 350 para o abono escolar. 


Artigos Relacionados