6 conselhos para cuidar da sua saúde mental durante a pandemia do coronavírus

Fontes confiáveis de informação, uma rotina e exercícios podem ajudá-lo a cuidar do seu bem-estar emocional

Postado em: em Comportamento

"​cenário exige cuidados, mas não temos de ficar emocionalmente à deriva", afirma Gustavo Arns, psicólogo e professor de psicologia positiva na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), em declarações à revista Galileu. 

"Um trabalho de olhar interno e consciente na situação em que estamos a viver é um ponto importante não só para a nossa saúde mental e psicológica, mas também para a física", acrescenta. 

Adicionalmente, Arns é ainda Professor convidado do Wholebeing Institute, centro de estudos internacional sobre psicologia positiva e é também idealizador do Congresso Internacional de Felicidade e do Centro de Estudos da Felicidade.

Numa entrevista dada pelo profissional à revista Galileu, deu algumas recomendações para ajudar a manter o bem-estar emocional e a saúde mental durante a pandemia, o autoisolamento e quarentena. A saber:

1. Seja otimista

Considere que estar em casa pode ser de fato um privilégio. Não só permite desacelerar, conectar-se com os seus familiares, consigo mesmo e mais do que tudo isso manter-se em segurança. 

Pense ainda nas pessoas que infelizmente não têm essa opção, que trabalham em hospitais ou em supermercados, e que todos os dias se expõe ao risco associado a sair de casa para que não lhe falte nada - a si e aos seus.

"Às vezes é necessário fazer um esforço consciente para encontrar o lado positivo de uma situação", comenta Arns.

"No livro 'Felicidade Autêntica', o psicólogo Martin Seligman, pai da psicologia positiva, diz que os otimistas tendem a considerar os seus problemas passageiros, controláveis e específicos", explica. 

2. Informe-se através de fontes credíveis e oficiais

"Assim como cuidamos da saúde do nosso corpo e nos preocupamos com a nossa alimentação, temos de estar atentos à forma como alimentamos a nossa mente", avisa Arns.

"Recebemos incessantemente informações por Whatsapp e peles redes sociais e, muitas vezes, encontramos desinformação e 'fake news'. Isso tudo causa uma 'má digestão' mental e gera pânico". 

Como tal, é de extrema importância que consuma informação a partir de fontes credíveis, o site da Organização Mundial de Saúde (OMS) é um bom exemplo. 

3. Mantenha uma rotina

Estabeleça horários fixos para dormir, acordar, trabalhar, comer, realizar tarefas domésticas, descansar, fazer exercício físico e outras atividades. 

O corpo e a mente humana adaptam-se melhor aos desafios do dia-a-dia quando dormimos bem, mantemos uma alimentação saudável e os músculos ativos. 

4. Faça coisas que lhe deem prazer

Aproveite o tempo livre para ver séries, filmes, ler, quem sabe experimentar umas receitas novas de culinária, dançar ou fazer um curso de línguas online. Basicamente pense em coisas que sempre quis fazer, mas para as quais não tinha tempo. 

5. Faça exercício

Aplicações para smartphones como Nike Training Club, Freeletics Bodyweight, Endomondo e FitNotes têm inúmeras sugestões de exercícios que pode fazer em casa. 

6. Pratique a 'arte' de ser gentil

"Para a psicologia positiva, a gentileza é um ponto muito importante dentro do bem-estar", diz Arns à Galileu.

Durante a pandemia, já vimos várias demonstrações e iniciativas de solidariedade, como pessoas que se voluntariam para ir às compras ou à farmácia de modo a ajudar os vizinhos mais idosos ou doentes, para que estes não tenham que sair e arriscar ficar infetados com a Covid-19. 

"Sempre que contribuímos para o bem-estar do outro estamos a contribuir para o nosso", alerta o psicólogo. Já sabe e é tão simples - seja gentil!


Artigos Relacionados