Ribeirão é a segunda cidade com o maior número de bebês de proveta do Estado

Segundo a Anvisa, a taxa de sucesso no Hospital das Clínicas é de 71%

Postado em: em Saúde

Ribeirão Preto é o segundo município com o maior número de fertilizações in vitro no Estado de São Paulo. A informação é do relatório da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Quem lidera o ranking é a cidade de São Paulo, com 58% dos procedimentos, seguida por Ribeirão Preto, com 16%, e Campinas, 9%, que ocupa a terceira posição. De acordo com o relatório, a taxa de fertilidade no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto é de 71%.

Ainda segundo a Anvisa, a Região Sudeste é a responsável por 65% dos 78 mil embriões congelados do País. A Região Sul tem 13%, a Nordeste 12%, a Centro-Oeste 8% e a Norte 2%, que finalizam a lista da distribuição, em porcentagem, de embriões criopreservados no ano de 2017.

Ao todo, foram 16,3 mil procedimentos bem sucedidos em todo Estado de São Paulo ao longo de 2017, contra 15 mil em 2016 – um aumento de 8% em relação aos dois períodos. 

A fertilização in vitro é uma técnica de reprodução assistida que consiste na colocação de espermatozoides ao redor do ovócito – células produzidas nos ovários –, porém, o processo acontece fora do corpo da mulher. Somente após o surgimento de um pré-embrião é que ele é transferido para o útero. Deste modo, os gametas envolvidos na criação do pré-embrião, geralmente, não são dos pais da criança. 

Excelência Nacional

Para o responsável pelo Setor de Reprodução Humana do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, Rui Alberto Ferriani, os resultados são um reflexo da excelência na formação dos profissionais na cidade. “Isso é decorrente de uma escola médica. Ribeirão Preto é o maior núcleo formador destes especialistas no País”, comenta.

Além das pratas da casa, a USP de Ribeirão também recebe estudantes de todo o Brasil em busca de formação e especialização na área da saúde. "Obviamente tem uma tendência de que esses profissionais fiquem aqui. Além de ser uma região rica, a cidade é muito boa", acrescenta Ferriani. 

O especialista também ressalta a importância da fertilização in vitro. "Recentemente, foi celebrado os 40 anos do primeiro bebê de proveta. Desde então, muita coisa mudou e evoluiu. O que começou como uma resolução para a infertilidade, atualmente possui diversas finalidades. A quantidade de casais homoafetivos que buscam por esse método, por exemplo, cresceu muito nos últimos anos", finaliza. 

(Do site revide.com)


Artigos Relacionados