Por que o chá de hibisco pode ser veneno quando tomado em excesso

Poder antioxidante e termogênico do chá já é bem conhecido; com moderação a bebida pode ser consumida.

Postado em: em Saúde

chá de hibisco ou vermelho entra na dieta de dez entre dez pessoas que desejam queimar gordura, diminuir a retenção de líquidos e acelerar o metabolismo.

Imensamente popular, a infusão é atualmente uma tendência alimentar entre as celebridades e uma sensação nas redes sociais (especialmente no Instagram). 

Contudo, assim como todos os alimentos, é preciso ter cuidado, pois se consumido em excesso, pode apresentar riscos (e sérios) à saúde.

Como é vasodilatador, o hibisco pode baixar a pressão. Ou seja, para quem tem a pressão já tendencialmente baixa, o chá pode causar tonturas e sensação de fraqueza. 

“Não há estudos com grávidas, então, por precaução, estas mulheres em especial não devem bebê-lo”, explica Vivian Ragasso, nutricionista desportiva do Instituto Cohen, em São Paulo.

O poder antioxidante e termogênico do chá é já bem conhecido. Por esta razão, com moderação pode, e deve, ser consumido. 

"A quantidade recomendada é de cerca de três xícaras por dia, sem exagero. É necessário ter em mente que o chá também é remédio e a ingestão excessiva pode ser nociva”, diz Ana Luisa Vilela, médica especialista em nutrição clínica e obesidade. 


Artigos Relacionados