Pedaços do cometa Halley aparecerão no céu nesta madrugada (05). Como ver

Essa chuva, associada aos detritos do cometa Halley, é conhecida pela alta velocidade dos meteoros

Postado em: em Ciência

A chuva de meteoros Eta Aquáridas de 2020 atinge sua atividade máxima entre os dias 4 e 6 de maio. 

No hemisfério sul, a taxa de meteoros visíveis é maior que no hemisfério norte, então é uma ótima oportunidade para quem quer assistir a um evento astronômico a olho nu, sem a necessidade de qualquer equipamento.

Essa chuva, associada aos detritos do cometa Halley, é conhecida pela alta velocidade dos meteoros - eles viajam a cerca de 66 km/s em direção à atmosfera da Terra.

Por isso, costumam deixar um rastro brilhante no céu, que pode ser visto por vários segundos enquanto esses pedaços queimam durante a descida.

De acordo com Bill Cooke, que lidera o Escritório de Meio Ambiente Meteoroide da Nasa, o melhor momento para assistir a esta chuva de meteoros é a madrugada de segunda-feira (4) para terça-feira (5).

Ele estima que a taxa deste ano pode ser de até 40 meteoros por hora.

Para observar os meteoros Eta Aquáridas, basta olhar para o céu. Embora eles pareçam se originar do mesmo ponto (a constelação de Aquário), você não deve olhar diretamente para este ponto. 

Se o fizer, poderá perder os meteoros que criam as faixas brilhantes mais longas no céu.

Outra dica é, se possível, estar em um local de baixa luminosidade, mas é preciso se atentar às medidas de isolamento social para evitar a disseminação da pandemia de Covid-19, evitando sair de casa.

Mas isso não deve ser um problema para os mais próximos da faixa do equador, onde os meteoros devem ser mais visíveis.

Embora a Lua esteja em uma fase crescente, ela estará abaixo do horizonte antes do amanhecer e, portanto, não deve atrapalhar a visualização da chuva de meteoros no final da madrugada.

Chuvas de meteoros como esta acontecem quando a Terra cruza o caminho dos cometas que deixam poeira e detritos ao longo de suas órbitas. 

É por isso que elas ocorrem todos os anos, em determinadas datas, e parecem se originar de pontos específicos no céu.

Fonte: Space.com


Artigos Relacionados