Ovos de chocolate vegano são aposta forte deste ano para a Páscoa

Sociedade Vegetariana do Brasil afirma que setor cresce 40% ao ano – cursos e docerias aquecem o mercado

Postado em: em Mais+

O veganismo, estilo de vida que exclui toda alimentação de origem animal, tem atraído cada vez mais adeptos. E pensando nesse mercado, vários empresários do ramo dos chocolates estão aproveitando a Páscoa para investir nesse setor.

Por conta do aumento na procura por chocolates sem produtos de origem animal, uma loja do interior de São Paulo abriu curso para ovos de Páscoa veganos. Cerca de 150 pessoas já se matricularam para as aulas. "Muita gente pedia e falava que não tinha essa opção de curso no mercado", conta Eliéser Dijos, de 40 anos. "As salas estavam sempre cheias, reflexo de que o curso foi bem aceito. Por isso, teremos o curso todos os meses."

De acordo com a Sociedade Vegetariana do Brasil (SVB), o setor de produtos veganos registrou um crescimento de 40% no ano passado. A SVB certificou, em menos de três anos, mais de 200 produtos e 25 marcas diferentes.

A curiosidade sobre o tema também aumentou. Em quatro anos, buscas pelo termo "vegano" cresceu 1.000% no país, ainda de acordo com a SVB.

Substituições

Nada de leite, ovos, manteigas e derivados animais. O leite de coco e de castanha de caju substituem todos os derivados de leite na dieta vegana.

A biomassa feita com bananas orgânicas dá a cremosidade necessária na composição do leite condensado vegano. O cacau é belga e não tem nada de origem animal.

A restrição alimentar, ao invés de restringir os empresários do ramo, tem dado cada vez mais asas à criatividade, que vai se refletindo na variedade de sabores para quem antes não tinha opção nenhuma. "Temos ovos de brigadeiro belga, beijinho, creme de limão, doce de leite, brigadeiro de cereja, prestigio e cajuzinho. Não faltam opções", conta Loren Neves, empresária de 27 amos que procura suprir as necessidades de um mercado que as empresas grandes não atendem. Os ovos custam aproximadamente R$ 55.

Os pedidos começaram a chegar antes mesmo do Carnaval, de acordo com a empresária. Ela conta que todos os ovos são produzidos sob acompanhamento de médicos e nutricionistas, para que nada prejudique os clientes. "Muito além de uma questão de estilo de vida, buscamos atender a pessoas que têm problemas de alergias a leite e ovos, inclusive diabéticos", conclui.


Artigos Relacionados