Observatório Social de Franca tem novo presidente: Dorival Mourão Filho

Posse aconteceu na manhã desta quinta-feira, 20; Wanderley Cintra Ferreira assume como vice-presidente

Postado em: em Cotidiano

Nova diretoria tomou posse na manhã desta quinta-feira, 20 (Foto: Divulgação)

​O Conselho de Administração do Observatório Social do Brasil - Franca (OSBFranca) empossou, nesta quinta-feira, 20, seus novos membros diretores: Dorival Mourão Filho, que assume a presidência do Conselho, e Wanderley Cintra, vice-presidente para assuntos de produtos e metodologia. 

Ambos foram aclamados durante assembleia geral ocorrida na sede da própria instituição. 

O ato contou com a presença de membros do G6 – Grupo Político e Econômico Suprapartidário formado por entidades de classe da cidade de Franca - dentre outros associados.

“O Observatório Social iniciou seus trabalhos há dois anos e consolidou-se como ferramenta eficaz de controle social durante a gestão do Nilton Colmanetti. Nosso objetivo é dar continuidade ao bom trabalho desenvolvido e promover novas ações”, conta Mourão, empresário e ex-presidente da ACIF (Associação do Comércio e Indústria de Franca).

“Vamos trabalhar, fortemente, a conscientização sobre a importância do envolvimento da comunidade com a coisa pública por meio da promoção de palestras e ações voltadas aos estudantes do Ensino Médio e universidades. Além disso, vamos incentivar e preparar as pequenas empresas locais para que participem dos processos licitatórios da cidade. Hoje, mais de 70% dos gastos da prefeitura são destinados a empresas de outras localidades. Acreditamos que manter este investimento na cidade resultará em crescimento e desenvolvimento para Franca”, completou.

Wanderley Cintra, que também assume a vice-presidência para assuntos de produtos e metodologia, tem em seu currículo passagens como diretor da Emdef (Empresa Municipal para o Desenvolvimento de Franca), presidente do Sindicato Rural de Franca, da Cocapec, do Rotary Club -Franca Norte, do Hospital Psiquiátrico “Allan Kardec” e também como presidente fundador da Credicocapec.

Além de Mourão e Ferreira, formam a diretoria do OBS – Franca: João Batista de Lima, vice-presidente para assuntos administrativos-financeiros; Luís Aurélio Prior, vice-presidente para assuntos institucionais e de alianças e Alexandre Noronha de Oliveira, vice-presidente para assuntos de controle social.

Sobre o Observatório

Atuando como pessoa jurídica, em forma de associação, o Observatório Social monitora as compras públicas em nível municipal, desde a publicação do edital de licitação até o acompanhamento da entrega do produto ou serviço, de modo a agir preventivamente no controle social dos gastos públicos.

Além disso, o Observatório Social atua em outras frentes, como: educação fiscal, demonstrando a importância social e econômica dos tributos e a necessidade do cidadão acompanhar a aplicação dos recursos públicos gerados pelos impostos; inserção das micro e pequenas empresas nos processos licitatórios, contribuindo para geração de emprego e redução da informalidade, bem como aumentando a concorrência e melhorando qualidade e preço nas compras públicas; construção de Indicadores da Gestão Pública, com base na execução orçamentária e nos indicadores sociais do município, fazendo o comparativo com outras cidades de mesmo porte

Sobre o G6

O G6 é um Grupo Político e Econômico Suprapartidário formado por entidades de classe da cidade de Franca: ACIF (Associação do Comércio e Indústria de Franca), Cocapec (Cooperativa de Cafeicultores e Agropecuaristas), OAB (13º Subseção de Franca), Maçonaria de Franca e Região (representada pelo Conselho de Mestres Instalados), Sindifranca (Sindicato da Indústria de Calçados de Franca) e Unimed.

Em relação ao OBSFranca, o G6 foi responsável por dar o primeiro passo para que Franca sediasse uma unidade do Observatório Social do Brasil ao protocolar um cadastro de intenção.

Foi o G6, ainda, quem recebeu as orientações normativas do Observatório, assinou o termo de adesão, organizou evento público para chamamento da comunidade, formou comissão de constituição do OSB local e se responsabilizou pelos demais tramites exigidos. 

A contribuição financeira para implementação e manutenção da unidade também partiu do G6.


Artigos Relacionados