​No Dia da Síndrome de Down, Cine Acif exibe animação sobre inclusão

Sessão tem parceria com Movimento Social Crer para Ver - Síndrome de Down e exibe "Procurando Dory"

Postado em: em Educação

A ACIF (Associação do Comércio e Indústria de Franca) e o Movimento Social Crer para Ver - Síndrome de Down realizarão um Cine Cultural ACIF especial pelo Dia Internacional da Síndrome de Down, em 21 de março. 

A comunidade, de forma geral, está convidada a participar do encontro, marcado para as 19h30, no Teatro Judas Iscariotes (rua José Marques Garcia, 395).

Na ocasião, o filme "Procurando Dory" será exibido. 

A animação trata de forma lúdica sobre um tema importante e atual: a inclusão. 

Dory, um peixe tang azul que possui deficiência intelectual, encontra ao longo de sua jornada grandes amigos que a ajudam a provocar significantes mudanças por onde passam, ganhando respeito dos outros ao redor e ensinando que, independentemente das dificuldades, cada ser carrega em si um poder de transformação.

A missão da peixinha se assemelha à da Crer para Ver. 

O grupo, reconhecido pelo Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência de Franca, surgiu em 2007 pela necessidade de troca entre pais incumbidos do mesmo desafio: buscar meios para promover educação de qualidade e igualitária a seus filhos com Síndrome de Down. 

Por meio de encontros mensais, hoje eles auxiliam outras famílias que estão neste mesmo caminho, oferecendo acolhimento e informações. 

Você pode conhecer um pouco mais sobre o grupo acessando sua página no Facebook (Crer Para Ver - Síndrome De Down).

"Nosso principal objetivo é oportunizar informações atualizadas e coerentes sobre o universo da deficiência intelectual para diminuir o preconceito e ampliar o processo de inclusão social da pessoa com deficiência", conta Karla Borges, integrante da coordenação do grupo.

Sobre a data e Síndrome de Down em Franca

O dia "21/03" foi escolhido como Dia Internacional da Síndrome de Down porque a síndrome é uma alteração genética no cromossomo "21", que deve ser formado por um par, mas no caso das pessoas com a síndrome, aparece com "3" exemplares (trissomia).

"A ideia surgiu na Down Syndrome Internacional, na pessoa do geneticista da Universidade de Genebra, Stylianos E. Antonorakis, e foi referendada pela Organização das Nações Unidas em seu calendário oficial", informa a página Movimento Down (www.movimentodown.org.br).

Em Franca, as famílias podem contar com o apoio do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência de Franca (tel: 3711-9318), no qual o Movimento Social Crer para Ver tem representatividade no segmento deficiência intelectual. 

As famílias contam, ainda, com grande apoio da Apae, que auxilia a estimulação precoce das pessoas com Síndrome de Down.

"Como resultados positivos, temos um trabalho realizado pelo Ministério do Trabalho de Franca, no sentido de acompanhar as contratações de pessoas com deficiência pela Lei de Cotas 8213/1991, que oportuniza a entrada de jovens com Síndrome de Down no mercado de trabalho", afirma Karla.

Mesmo com todos os esforços, o Crer para Ver ressalta que muito ainda há para ser feito em relação ao tema.

"Importante dizer que, a Síndrome de Down é uma das mais conhecidas no mundo, porém ainda há muito que se conhecer sobre o assunto. Mesmo estando no ano de 2018, há uma precariedade no atendimento desde o nascimento, quando as famílias, muitas vezes, recebem informações inadequadas impactando o modo como elas aprenderão a lidar com o filho. E é também por este motivo que o Crer par a Ver busca fazer o acolhimento destas famílias, para que os pais dos recém-nascidos possam conhecer as crianças e jovens do grupo e desmitificar muitas informações equivocadas".


Artigos Relacionados